Graci Viajante

São Miguel dos Milagres: 50 tons de esmeralda

A Graci tem um Facebook daqueles de matar de inveja qualquer viciado em viagens: quando você menos espera, ela já está fazendo outra viagem fantástica pelos destinos mais lindos do Brasil. Segundo diz, tirou um "ano sabático" sem sair do trabalho, esticando as férias como pode, viajando em todos os finais de semana e feriados. Ela vem nos contar a sua última aventura, com suas amigas, pelo litoral de Alagoas até chegar a São Miguel dos Milagres. Com vocês, Graci Viajante!

 

Um santo milagre no litoral de Alagoas

Não me lembro exatamente onde vi São Miguel dos Milagres. Me apaixonei à primeira vista, à primeira foto. Depois só vi relato atrás de relato em revistas especializadas e sites sobre o lugar e aí decidi que entraria na minha lista de locais a visitar em 2 anos pelo Brasil. Sim, fiz essa lista louca e me dei 2 anos para conhecer.

Dessa vez, fechei um “check” por acaso. Comprei as passagens em uma mega promoção de voos nacionais, na semana depois do Carnaval. Paguei R$ 186 + taxas no trecho Brasília- Recife em pleno feriado de 21 de abril. A ideia inicial era conhecer a cidade, Olinda e Carneiros, praia linda bem próxima à capital pernambucana. Depois de receber imagens de Milagres, decidimos mudar o trajeto. (Ainda bem!!!)

São Miguel dos Milagres

São Miguel dos Milagres

Primeira parada: Recife

Embarquei para Recife um pouco depois do almoço e cheguei no fim da tarde. Como era arriscado pegar estrada, a saída para Alagoas seria no outro dia. Em Recife, me hospedei na casa de uma amiga. Para aproveitar a noite, seguimos para o happy hour e emendamos o jantar em um passeio pelo Centro, o Recife Antigo.

Visitamos o Marco Zero, bem no centro da capital. Muito movimentado, vale um passeio mais longo e no fim da tarde. É possível ver o rio, o Parque das Esculturas Francisco Brennand, o pôr do sol. Além disso, há uma série de bares, restaurantes e pubs de frente para o rio.

A área é bem movimentada, reúne turistas e moradores. Paramos para umas caipirinhas regionais e os petiscos locais, como casquinha de siri e o dadinho de tapioca cremoso do Seu Boteco. Encerramos a noite cedo.

Seríamos cinco mulheres, na estrada, para o feriado na praia. Partimos bem cedo de Recife, lá pelas 7h, rumo a São Miguel dos Milagres. Basta seguir no sentido Carneiros – Maragogi – Maceió. A estrada é boa, mas com muitos trechos em pista simples. Há bastante placas, boa sinalização na pista e um pedágio no caminho (R$ 6,60 o carro).

Logo depois dos eternos canaviais, a hora que o mar se apresenta, já entramos em choque: mar que vai do azul ao verde água. 50 tons de esmeralda ao verde água até onde a vista alcança. Uma cor que hipnotiza, encanta e deixa qualquer queixo caído. É muito além do que as fotos revelam. Acredite!

Graci Viajante em São Miguel dos Milagres

Graci e suas amigas em São Miguel dos Milagres

 

Segunda parada: Japaratinga

No litoral se sucedem fazendas e fazendas de coco. Foram 145 km até a primeira parada: Japaratinga. A cidade fica pouco depois de Maragogi e tem piscinas naturais tão lindas (e cheias) quanto à principal atração do litoral norte de Alagoas. Por R$35 por pessoa, conseguimos uma vespinha (uma lanchinha pequena) para as piscinas.

O local estava lotado, mas em baixa temporada é ótimo para ver corais, peixes e mergulho. Recomendo o passeio só se tiver quase ninguém por lá, senão vai ter que disputar lugar a tapa e se contentar com um mar cheio de areia, revirado, com baixa visibilidade. E, além de turistas, um bar na água, que além de cerveja, vendia churrasquinho.

Pedimos ao barqueiro para nos levar a uma piscina mais vazia. Lá ficamos só as cinco nadando, aguardando a maré encher. Ficamos por cerca de duas horas. Fique atento ao horário da maré baixa para aproveitar mais o passeio. As piscinas de Japaratinga não perdem nada para as badaladas de Maragogi. A região é conhecida como Costa dos Corais – dá para fazer mergulhos e observação pelos povoados vizinhos.

Japaratinga

Japaratinga

Seguimos viagem e paramos para comer no Restaurante do Mano, com vista para o mar de Japaratinga. O litoral norte de Alagoas se revelou como local onde mariscos e frutos do mar têm preços honestos e um pirão que surpreende! Uma porção de lagostas grelhadas, acompanhada de arroz, salada e pirão fica por R$110 e serve bem três pessoas. Para comer mais, pedimos um aperitivo de camarão ao molho da casa, uma delícia também!

 

Terceira parada: São Miguel dos Milagres

Satisfeitas, a próxima parada seria São Miguel dos Milagres. Pausa para travessia de balsa que, se não estiver ancorada, é só chamar alguém pelo número do celular que está anunciado numa placa no porto. O transporte custa R$14 para carros e funciona das 6 à 0h. Ficamos em um chalé que alugamos a uns 500 metros da praia do Riacho, em São Miguel dos Milagres – 190 km de Recife e 100 km de Maceió.

Não espere nada como Maragogi. Milagres é um vilarejo pequeno, calmo, sem grandes estruturas turísticas e, muito menos, badalações. Mas com um charme infinito, graças ao seu povo simples, ainda aprendendo a viver do turismo. E cercada de praias lindas, cheias de paredões de corais e coqueiros. Milagres é conhecida por destino exclusivo, lugar de lua-de-mel, já que as pousadas são caras. Mas é possível conseguir uma hospedagem mais em conta ou ficar em Japaratinga.

Praia do Riacho em São Miguel dos Milagres

Praia do Riacho em São Miguel dos Milagres e as fazendas de coqueiros

Fomos passear pela praia e encontramos o riacho que, já na maré alta, se encontra com o mar e fica bem fundo, pronto para mergulho e banho. Águas calmas mesmo com maré alta, aquele mar morno que é característico do Nordeste.

Por quilômetros se vêem poucas casas à beira mar, pequenas construções. As fazendas de coqueiros dominam a paisagem, perdendo em alguns momentos para pequenos bares, com poucas cadeiras e sombrinhas para os raros turistas na faixa de areia nesses horários.

Acompanhamos o fim do dia, apenas nós cinco, um caminhante e alguns cachorros que passaram por nós. A Praia do Riacho é referência de paradas de excursões e de pousadas. Ganhamos um grande presente: o pôr do sol. Dos mais lindos que já vi, com tons de laranja, azul e rosa rasgando o céu, mesmo meio nublado.

Por do Sol em São Miguel dos Milagres

Por do Sol em São Miguel dos Milagres

São Miguel dos Milagres é assim: uma pausa no meio do grande Brasil. A cidade não tem noitada, balada e sequer festas, mesmo aos feriados. O máximo de agitação encontrada é comer à beira mar ou ir aos restaurantes das pousadas.

Como queríamos sossego (e um banho de piscina), fizemos o jantar nós mesmas. E com a falta de internet e a TV desligada, ficamos apenas ficamos ao som de nossas playlists.

Observar o mar em plena lua cheia regado a vinho e espumante foi o passeio perfeito para nós cinco. Essa é a sugestão que faço, a melhor balada que pode se encontrar em São Miguel: rede, música, um bom livro, céu estrelado, observar a lua.

E Milagres é isso: é ver o mar, caminhar pelas praias, observar a tábua das marés para ver uma praia pela manhã, com seu ponto mais baixo com um banho calmo, em águas rasas, paredão de corais à vista e mergulhos em piscinas que, para mim, estariam em alto mar! A tarde, com maré alta, é perfeita para nadar e nadar, com ondas calmas e um verde brilhante. O jeito é se render ao ritmo do vilarejo e deixar o tempo correr, sem pressa.

A regra em Milagres é desacelerar, desconectar e contemplar: o mar, a lua, um oceano quase sem ondas. Não há lojas e mais lojas de artesanato, ambulantes, bancos e grandes estruturas.  Foram apenas três dias e deu para desacelerar, curtir a praia, caminhar, conhecer tudo.

 

Comer em Milagres

Um capítulo à parte é a cozinha alagoana. Com fartura de peixes, frutos do mar e mariscos, os restaurantes oferecem desde opções na chapa, grelhadas até a caldeirada: uma moqueca que reúne lagosta, camarões (grandes), anéis de lula, mariscos (vôngole ou mexilhões) e peixe local, num molho de leite de coco com uma variedade de legumes. De lamber o prato!

Experimentamos e aprovamos o “Petit Gateau Alagoano”, uma cocada de forno servida com sorvete de tapioca, que não à toa ganhou indicação da Ana Maria Braga. A sobremesa é para dois, custa R$10, mas não é pecado comer uma só, lá no Restaurante do Enildo, no Centro do povoado, à beira mar.

Petit Gateau Alagoano em São Miguel dos Milagres

Petit Gateau Alagoano: cocada de forno com sorvete de tapioca que já estrelou no programa da Ana Maria Braga

Vale a pena parar também no Luna Restaurante Bar, para um almoço mais bem elaborado. Os donos, mexicanos que se encantaram pela cidade e lá se estabeleceram, oferecem um espaço lindo, aconchegante e bem decorado, com uma vista maravilhosa e cozinha digna de grandes restaurantes.

Lá, o destaque foi a Lula à Molho da Luna, como aperitivo (R$ 30). Dá pra almoçar lá e comer a sobremesa no Enildo, já que estão um ao lado do outro. Próxima, mais em conta, e muito bem recomendada é a Creperia Porto dos Milagres, com cardápio bem variado.

Luna Restaurante Bar em São Miguel dos Milagres

Lula ao Molho da Luna no Luna Restaurante, em São Miguel dos Milagres

 

É possível viajar e conhecer o Brasil em viagens curtas. Mochilar por aqui mesmo, sem deixar o trabalho, mas escapar da rotina. A ideia é por o pé na estrada, não importa por quanto tempo. Viajar e, assim, formar um mosaico de lugares que dão para voltar numa viagem maior, com mais tempo. São Miguel dos Milagres já valeu pelos dias visitados. Ganhou pelo verde infinito do mar e por mostrar que a vida pode ser calma, mesmo sem estar de férias.

 

Gostou?? Manda a sua história de viagem para o Planejo Viajar e apareça aqui também!! E vai.... deixa um recadinho para a Graci nos comentários!

7 comentários

  1. Zaira 5 Maio, 2016 at 16:46 Responder

    Amiga, nossa viagem foi top! Lugares lindos, companhia maravilhosa, hospedagem boa e barata e muitas risadas e memórias inesquecíveis! Que venham mais!!!!

  2. Madson 6 Maio, 2016 at 12:16 Responder

    Gostei da reportagem … estou orgulhoso … repassei o link para o pessoal do serviço … dicas bem elaboradas do lugar … e tb recomendei o blog para os eternos itinerantes com você … bjos ….

  3. Marlyana Tavares de Almeida 13 Maio, 2016 at 08:48 Responder

    Olá pessoal, nós também adoramos divulgar a experiência da Graci em Alagoas. Aqui no Planejo Viajar a gente adora contar histórias legais de viagens dos leitores. E vem mais por aí. Se vocês tiverem histórias bacanas de viagens a gente está aqui às ordens. Abração

Deixe uma resposta