Como levar dinheiro para a Argentina?

Viajar para a Argentina pode ser muito caro, ou muito barato. Depende da moeda que você leva.

Todo mundo já ouviu falar que a Argentina é um país em crise, e que a inflação é muito alta. Mas talvez você não saiba que existe um câmbio paralelo de moedas bem mais vantajoso para o turista desde que o governo limitou a saída de pesos do país.

Leia também: Levo dólares ou reais para Buenos Aires? Agosto de 2015

Ou seja, a cotação do dólar e do real é uns 60-70% mais cara no câmbio paralelo do que no câmbio oficial. Quando eu visitei, em outubro de 2014, o dólar no câmbio oficial valia $8,9 pesos enquanto no paralelo era possível vender por $14 pesos (uma semana chegou a ser $15). Ou seja, você com um dólar comprava quase o dobro de pesos  no paralelo do que compraria no oficial.

Com o real, o cambio oficial pagava $3,5 pesos enquanto o paralelo $5,5.

Fazendo as contas, vale mais a pena levar dólar a real. Contudo, o seu dinheiro não é dólar, e sim real. Então, considerando o que você perde para comprar dólar, talvez seja mais prático levar reais.

De qualquer maneira, é muito melhor levar dinheiro em espécie do que deixar para sacar ou fazer comprar com o cartão. Porque o cartão vai fazer todas as conversões no cambio oficial, e tudo custará quase o dobro.

Casa Rosada em Buenos Aires

Casa Rosada em Buenos Aires

Ok, e como troco dinheiro no câmbio paralelo?

Para nós brasileiros que não estamos acostumados, falar em câmbio paralelo pode parecer super perigoso. "Será que eu vou ter que ir a um bairro afastado, me meter num beco e lidar com gente estranha?"

A verdade é que é mais simples do que parece. É lógico que tem seu risco mas, em três meses em hostels, não tive e nem conheci ninguém que teve problemas.E se você está inseguro, como eu estava, de que não vai comprar dinheiro falso ou ter qualquer outro problema, pode pedir no hostel uma indicação sobre um lugar confiável para trocar seu dinheiro.

Em Buenos Aires, na rua Florida - a principal rua de comércio, você vai identificar imediatamente - há centenas de pessoas gritando "câmbio, câmbio!". Eles são "promotores" das casas de câmbio paralelas. Vão perguntar a quantidade, e encaminhar para o lugar onde fará a troca. Me surpreendeu que em muitas vezes é uma casa de câmbio normal. (Esperava algo meio bizarrinho)

Em Bariloche é na Rua Mitre - que também é a rua do comércio - onde estão esses promotores. Em outras cidades como Córdoba, Rosário, Mendoza eu não encontrei esses senhores com tanta facilidade. E quando encontrava a tal casa de câmbio paralela a diferença não era tão vantajosa quanto em Buenos Aires. Ainda assim mais vantajosa que a oficial.

Ou seja, na dúvida, troque o dinheiro em Buenos Aires.

 

O que acontece se sobrar pesos?

Bom, se sobrar pesos, você pode tentar vendê-los no cambio paralelo, ou vender a alguém no hostel. Mas não conseguirá comprar dólares no câmbio oficial. Para isso, você precisaria do comprovante de que comprou os pesos no câmbio oficial e vendê-los com a mesma tarifa.

Assim, na dúvida, troque um pouco a menos, já que a maioria do comércio aceita dólares ou reais em uma cotação quase tão boa quanto a do cambio paralelo.

 

Leve notas de US$100

Quando comprei meus dólares em Brasília, eu estava com medo do câmbio paralelo e tinha a intenção de pagar as coisas em dólar no comércio para não precisar trocar.

Assim, e aconselhada pelo senhor do Banco, eu levei notas de US$20, US$10, e até US$5.

Acontece que o câmbio paralelo paga um pouco mais pelas notas de US$100, então nessa eu perdi um pouco de dinheiro. Se você pretender trocar dinheiro e pagar tudo com pesos, o que eu recomendo porque é mais simples do que parece, leve notas grandes.

Leia mais sobre a Argentina!



Booking.com

*Reservando seu hotel por este link, nós ganhamos uma pequena comissão sem nenhum custo extra para você, que nos ajuda a pagar as despesas de manutenção do site! Obrigada!