Levo dólares ou reais para Buenos Aires?

Esta semana recebemos uma consulta muito especial. A Tereza Gontijo e o Anderson Spada são atores e palhaços do Doutores da Alegria em São Paulo e viajam para Buenos Aires dia 3 de agosto. Eles já estão com as passagens compradas e vão ficar hospedados na casa de dois amigos.

É a primeira vez que Anderson vai sair do país e o casal não vê a hora de pisar em terras portenhas. Mas como o Real anda se desvalorizando muito e o Dólar está bem caro para comprar aqui no Brasil, eles estão em dúvida sobre qual moeda levar.

Será que se eles levarem reais vão conseguir uma boa cotação? Ou será que a moeda brasileira despencou nas casas de câmbio de Buenos Aires também?

Se você também tem essas dúvidas, continue lendo para ver a nossa opinião.

Anderson e Tereza se casaram no ano passado e farão sua primeira viagem internacional juntos. Buenos Aires, aí vão eles!

Anderson e Tereza se casaram no ano passado e farão sua primeira viagem internacional juntos. Buenos Aires, aí vão eles!

O câmbio paralelo é mais conveniente

Na Argentina o câmbio de moedas estrangeiras é regulado pelo governo. O que isso significa? Que os moradores só podem comprar uma quantidade determinada  – e limitada – de moeda internacional. Isso gera uma procura muito maior por dólares, reais e outras moedas no câmbio paralelo, onde o governo não controla a quantidade comprada.

Com o aumento na procura pelo mercado paralelo, a cotação da moeda dispara. Quanto mais gente querendo comprar dólar nas casas de câmbio, mais caro ele fica. O mesmo acontece com o real.

Então, independentemente de levar dólares ou reais, a primeira coisa que você tem que saber para viajar para a Argentina nos últimos tempos é que vale a pena ficar no câmbio paralelo.

 

O câmbio paralelo é perigoso?

Quando ouvimos falar em câmbio paralelo já imaginamos uma atividade criminosa e casas de câmbio estranhas em ruelas mal frequentadas de Buenos Aires. Mas não é assim.

Todas as casas de câmbio trabalham em câmbio paralelo, mesmo no Brasil. Se você for comprar dólares nos bancos aqui ou nas casas de câmbio vai ver que os valores das taxas de conversão e os procedimentos para trocar o dinheiro são diferentes.

 

Como sei que estou trocando em uma casa de câmbio confiável?

Em Buenos Aires, para trocar dinheiro com tranquilidade nas casas do câmbio paralelo, visite a Rua Florida, uma rua movimentada de comércio no Centro da cidade. Você vai ver centenas de pessoas gritando "Câmbio", "dólar", "reais", "euro". Eles são "representantes" das casas de câmbio.

Muitas delas ficam dentro das galerias de lojas da Rua Florida, longe da visão dos turistas. Por isso contratam estes senhores para atrair clientes. Se você preferir, algumas delas ficam voltadas para a rua, e tem a mesma cara que uma casa de câmbio no Brasil.

Dançarinos de Tango em praça no Bairro de San Telmo

Dançarinos de Tango em praça no Bairro de San Telmo

Como acontece a troca?

Os "representantes" das casas de câmbio, ganham comissão para cada cliente que conseguem. Por este motivo, quando você pára e conversa com eles, vai ser questionado pelo valor da troca que quer fazer.

Nas primeiras vezes eu ficava desconfiada, e achava que estaria correndo mais riscos informando a quantia de dinheiro que eu trazia comigo. Pensava que ele poderia me assaltar, ou avisar a algum assaltante. Na verdade, ele precisa saber qual é o valor que será trocado, para que possa calcular o quanto receberá de comissão, ao acompanhar você até o guichê da casa de câmbio.

Reais ou Dólares para a Argentina?

Reais ou Dólares para a Argentina?

Levo Dólares ou Reais?

Na maioria das vezes não faz diferença entre levar dólares ou reais para a Argentina. A conversão do real para o peso argentino geralmente é indexada pelo dólar, então dá no mesmo, no fim das contas.

Mas para tirar qualquer dúvida, entrei em contato com meus amigos argentinos e amigos brasileiros que estão lá para perguntar em primeira mão o valor exato da cotação do dólar e do real na Argentina, fazer as contas e chegar à resposta final.

Hoje, dia 29 de julho de 2015, nas casas de câmbio de Brasília o dólar está sendo vendido há mais ou menos R$ 3,60. Eu consegui cotações melhores que já incluíam as taxas e o IOF, mas vamos arredondar para cima para fazer as contas.

Segundo meus amigos argentinos, neste site você consegue as cotações atualizadas do dólar oficial e do paralelo, e neste site você consegue a cotação do real paralelo e oficial.

Consultando hoje, o dólar paralelo é vendido por 15 pesos argentinos. Ou seja, você com um dólar compra 15 pesos argentinos.

Com um real, você compra 4,3 pesos argentinos no câmbio paralelo.

Então, se você levar reais, para cada 1 real, você sai com 4,3 pesos argentinos.

Se você levar dólar, cada real comprará 0,28 dólares. E com 0,28 dólares você comprará 4,1 pesos argentinos.

Ou seja, levando reais, a quantidade de pesos argentinos por real que você compra no final é um pouco maior.

Porém, como a diferença é muito pequena, eu arrisco dizer que dá no mesmo. Assim, pela praticidade de não precisar comprar dólares, eu levaria reais.

 

Vale a pena usar cartão de crédito ou sacar dinheiro?

Não! As transações feitas pelos bancos, seja com pagamentos em cartão de crédito ou em saques nos caixas eletrônicos, são operadas pelo câmbio oficial. Nele, a cotação do real está em 2,75. Ou seja, para cada real que você gasta, você sai com apenas 2,75 pesos argentinos.

Você pode levar o cartão e reservá-lo apenas para alguma emergência. Lembre-se de habilitar o cartão para uso no exterior. Para isso, entre em contato com o seu banco.

 

Pago com dólares, reais ou troco por pesos argentinos?

A moeda em circulação na Argentina é o Peso Argentino. Tudo o que você for pagar, seja compras, passeios ou hospedagem é precificado em pesos argentinos.

Algumas vezes, para conveniência dos viajantes, os locais turísticos aceitam dólares ou reais. Neste caso, pergunte qual a taxa de conversão é usada pela loja, restaurante ou hotel. Em 99% das vezes, é uma taxa de conversão que não convém para o turista.

Você terá que arcar ainda com uma espécie de "taxa de conveniência" por pagar sua viagem em uma moeda diferente da moeda oficial do país. Mesmo que os preços indicados no site do estabelecimento estejam em dólares, você sempre poderá fazer o pagamento em pesos argentinos se for mais conveniente para você.

 

Resumindo:

- Use o câmbio paralelo, nas casas de câmbio da Calle Florida

- Leve reais pela conveniência, porque pelos valores de conversão dá mais ou menos o mesmo que o dólar

- Deixe o cartão de crédito apenas para uma emergência

- Confira a cotação antes de pagar em dólares ou reais

 

Você também tem alguma dúvida?

Vai viajar e quer a nossa ajuda?

Escreva para nós no contato@planejoviajar.com.br

 

25 comentários

  1. Tereza Gontijo 30 julho, 2015 at 11:39 Responder

    Oi Ana Beatriz, adoramos sua matéria. Super esclareceu pra gente. Ainda não tínhamos resolvido essa parte da viagem, por incrível que pareça, pois vamos segunda agora, e estávamos em dúvida sobre o que é melhor. Estávamos pensando em levar reais mesmo, mas agora vamos fazer isso com muito mais segurança. Na volta, a gente promete pra vocês do Planejo Viajar contar como foi nossa viagem. Beijo!

    • anabeatriz 30 julho, 2015 at 13:01 Responder

      Oi Tereza! Boa viagem! Vamos ficar aqui esperando suas dicas quando voltar! Aí você nos conta se valeu mesmo a pena levar os reais!
      Abraço!

  2. Cinthia 31 julho, 2015 at 10:26 Responder

    Olá!! Amei as dicas! Estava quebrando a cabeça pensando em que moeda levar, já que o dólar está nas alturas!!
    Vamos para BsAs em setembro!!! beijos!

    • anabeatriz 31 julho, 2015 at 10:34 Responder

      Opa Cinthia!!! Que bom que a matéria te ajudou! Quando voltar, escreve para a gente contando da sua viagem. E se tiver alguma outra dúvida, manda também que a gente tenta responder! Abração e boa viagem!!

  3. Wandeberg 3 setembro, 2015 at 16:03 Responder

    Olá Ana,

    Muitíssimo obrigado pelas dicas!! Estava com muita dúvida qual moeda levar. Agora estou esclarecido.
    Também tinha MEDO comprar o peso Paralelo nas casas de cambio. Agora estou tranquilo.

    Valeu!
    Deus te abençoe muito.

    • Ana Beatriz 3 setembro, 2015 at 16:15 Responder

      Nossa, Wanderberg! Que bom ouvir isso!
      Vai tranquilo que isso é a coisa mais normal lá.
      Depois da viagem escreve um relato para a gente publicar no blog!!
      Boa viagem! Ana.

  4. Daniel Hudsons 17 setembro, 2015 at 10:55 Responder

    Obrigado pelas dicas. Eu e minha esposa estamos indo em Outubro para Buenos Aires, precisamente dia 11. Nesta época já vai estar mais quente? sabe se preciso levar algum agasalho?

    • Ana Beatriz 23 setembro, 2015 at 22:38 Responder

      Oi Flávio! Não tenho nenhuma de preferência. Como eu disse no texto, sempre há vários senhores na rua gritando “Cambio” e você pode falar com eles mesmo. Ou entre nas galerias e vai ver várias.

      Abraço! Boa viagem!

  5. Kely 29 novembro, 2015 at 18:42 Responder

    Olá. Estou indo para Buenos no final do ano. O que me aconselha levar. Real ou dólar?? Como o post ja faz uns meses estou com esta dúvida. Ou melhor levar um pouco de cada?? Outra coisa ja estou com hotel pago vou ficar 4 dias. Quanto na média vou gastar?? Obrigada

    • Ana Beatriz 30 novembro, 2015 at 09:05 Responder

      Oi Kelly! Pelos links com a cotação do real e do dólar em Buenos Aires, eu acho que a conta continua mais ou menos a mesma. Não é muito diferença. Se quiser levar um pouco de cada pode ser uma boa. O que faz mesmo diferença é trocar dinheiro no mercado paralelo. Veja no post as dicas para trocar dinheiro no mercado paralelo em Buenos Aires.

      Sobre média de gastos, isso é muito pessoal. Depende muito do seu estilo como viajante. Se vai fazer compras, em que lugar vai comer, se vai sair a noite. Em minhas viagens super econômicas eu trabalho com a média de gastos de R$ 100 por dia. Mas eu faço o controle de tudo para me manter nesta média. Ando de transporte público, como nos lugares mais baratos, não faço passeios que sejam muito caros.

      Boa viagem! Aproveita bastante!

  6. paulo cesar 3 dezembro, 2015 at 20:18 Responder

    eu pretendo ir de moto para a Argentina, já fiz a carta verde e também os documentos obrigatórios, pelo que vc informou, tanto faz levar real,até mais pratico certo? pretendo ir em dezembro, alguma dica?

    • Ana Beatriz 8 dezembro, 2015 at 12:27 Responder

      Oi Cara! Pois é… pode até dar uma diferençazinha, mas nada que seja significativo no orçamento final da viagem. Mas isso tudo no cambio paralelo. Se sacar dinheiro ou usar o cartão de crédito e débito, aí sim fica bem mais caro. Leva dinheiro vivo!

      Po, de moto para a Argentina? Vamos esperar um relato seu quando você voltar, hein! Abração e boa viagem!

  7. Arthur 9 dezembro, 2015 at 16:48 Responder

    Boa tarde, saberia me dizer sobre o aceite de dólares antigos nesse mercado paralelo ? Falo de notas mais velhas.. Será que terei problema ? Obrigado !

      • Ana Beatriz 11 dezembro, 2015 at 13:09

        Na verdade não recomendo levar notas velhas. As casas de câmbio podem oferecer uma cotação muito mais baixa por elas ou, o mais provável, não aceitá-las.

        Você pode levar e tentar, mas recomendo não contar com elas.

        Abração, e boa viagem!

  8. Mirian F 18 Março, 2016 at 11:53 Responder

    troquei ontem na boston cash por 3.95 enquanto no oficial estava 3.60, então ainda esta compensando troca no paralelo. besos.

  9. Lucas 22 Março, 2016 at 13:10 Responder

    Olá estou indo dia 02/04 vou passar um semana lá com minha esposa, vou deixar uns passeios e o transfer já pago por aqui, pois consigo dividir no cartão de crédito e não preciso levar tanto dinheiro em espécie.
    Estava na dúvida se levar real ou comprar dólar.

  10. Paulo Roberto 3 novembro, 2016 at 10:14 Responder

    Sabendo que trocar moedas nas capitais como Buenos Aires, por exemplo, é muito mais fácil eu adotei o procedimento a seguir, mas que utilizo para todas as viagens que faço principalmente pela América do Sul. Estou planejando ir a Ushuaia, El calafate e Bariloche em abril de 2017, 12 dias (fora os 2 perdidos no traslado de ida e volta). Aqui no Brasil, a cotação oficial do peso/real entre setembro e outubro de 2016 estava variando entre 0,214 a 0,206 centavos de real para 1 peso, lembrando que cotação oficial somente vale para as compras efetuadas no exterior com cartões, converte-se em dólares, depois em reais e por fim cobra-se a fatura no Brasil. Numa grande rede de casa de câmbio de âmbito nacional (tem em várias capitais do Brasil) a cotação real/peso variava entre 0,34 a 0,31 centavos de real para 1 peso. Eu optei pelo seguinte modo, a cada mês entre setembro a dezembro 2016 eu trocava 1000 pesos em notas de 100 e 500 pesos argentinos, dava entre 340 a 314 reais por mês e isso me deu um lastro de 4300 pesos argentinos para pagar tudo por lá durante a viagem, caso não fosse suficiente, eu trocaria então as notas de 50 e 100 reais que levarei como segurança, sem contar com os cartões travel money em dólares que sempre mantenho carregados com no mínimo 2000 USD. Para viajar pela América Latina passarei a fazer isso, comprar moedas dos países nessa grande casa de câmbio e já levar do Brasil uma boa quantidade, mas não tudo na moeda local, perde-se muito tempo fazendo câmbio nos passeios e nessa vida para tudo há um preço a pagar.

  11. Flávia 25 novembro, 2016 at 08:54 Responder

    Gente! Gostei demais do blog de vcs! É dito de uma maneira prática, passo a passo, de um jeito que alguém que nunca viajou ao exterior (como eu) consiga entender o processo, que parece difícil quando nunca se fez. Gostei muito!

Deixe uma resposta