San Gervásio: ruínas arqueológicas de Cozumel

Se hoje a ilha de Cozumel é a "Meca" dos mergulhadores, parada quase obrigatória para quem curte o esporte, uns mil anos atrás ela recebia peregrinos com outros objetivos. Cuzamil, ou a terra das andorinhas, era o lar da deusa Ix Chel, a deusa da lua e da fertilidade feminina.

Todos os anos, os maias deveriam vir a Cozumel para trazer suas oferendas à divindade, e fazer seu pedido. Sobretudo as mulheres, já que a reprodução era muito valorizada na cultura maia. Levavam presentes e pedidos, e regressavam a seus povoados com mensagens da Deusa.

Entrando em San Gervasio. A Guia, minha amiga Rose de Cozumel

Entrando em San Gervasio. A Guia, minha amiga Rose de Cozumel

San Gervasio

San Gervasio

Hoje sobraram as ruínas,  chamadas de San Gervasio, que se encontram no centro da ilha próximo às fontes de água. O que mais me agradou na visita a estas ruínas foi o contato com a natureza e o silêncio.

Justamente por não serem as maiores e mais imponentes, nem serem tão conhecidas, são pouco visitadas. Isso faz com que seja muito mais fácil se concentrar e imaginar como aquelas construções pareciam em seu auge, e como era utilizadas pelas pessoas.

É possível caminhar à beira do caminho, que era chamado sacbe, palavra maia para caminho branco. Este caminho guiava os peregrinos até o santuário da Deusa Ix Chel, e tinha esta cor para refletir a luz da lua e permitir que as caminhadas fossem feitas mesmo durante a noite. Infelizmente a cobertura branca já se perdeu, e essa linda imagem fica por conta da nossa imaginação.

El Arco - Arquitetura Clasica Maya

El Arco - Arquitetura Clasica Maya

Caminhando ao lado do Sacbe - Caminho branco

Caminhando ao lado do Sacbe - Caminho branco

Segundo relatos de espanhóis, a estátua da deusa era diferente das demais, era feita de barro, suspensa por uma corda, e atrás dela ficava uma espécie de sacristia onde os sacerdotes entravam e respondiam às perguntas dos fiéis.

Mesmo sabendo que os maias não eram muito diferentes dos espanhóis ao usar a fé e a religião para dominar e controlar seus povos, eu sempre tive uma atração e um interesse muito grande pelas lendas e crenças indígenas americanas.

Plaza Central

Plaza Central

O que mais me encanta é a forte relação com a natureza. Os deuses são o sol, a lua, a terra. Deles emana a vida, a eles se deve tudo. E como eu dizia anteriormente, em San Gervasio essa conexão com a natureza é bem fácil de conseguir. Cada ruína está separada das demais por uma leve trilha em meio à mata nativa da região. Iguanas são a atual população local. Pássaros cantam o tempo todo. Borboletas azuis seguem os visitantes para protege-los, segundo creem os mexicanos atualmente.

Iguana em San Gervásio

Iguana em San Gervásio

Antes de fazer meu pedido e minha oferenda à Ix Chel - um gole de água - me certifiquei se poderiam ser feitos pedidos que não envolvessem a reprodução (heheheh ainda sou muito nova!). Felizmente a deusa é bem flexível!

Fazendo uma oferecenda à deusa Ixchel

Fazendo uma oferecenda à deusa Ixchel

 

Serviço

A entrada para as ruínas fica na Carretera Transversal, km 7. Depois de passar pelo portão ainda há alguns quilometros de estrada até as ruínas. Melhor ir de carro. Se estiver de taxi, pedir ao motorista para levar até a boleteria.

san gervasio cozumel

Horário de funcionamento é de segunda a domingo de 8h às 15h45. Fecha cedo, então é melhor visitar no início do dia. Deixando para o final da tarde pode não dar tempo.

É necessário pagar duas entradas: uma municipal, a outra federal. O total fica em 10 dólares.

Mais informações neste site.

 

 

Deixe uma resposta