6 Dicas para gastar menos em Fernando de Noronha

Fernando de Noronha é o destino mais desejado pelos brasileiros, segundo a pesquisa de demanda turística nacional realizada anualmente pelo Ministério do Turismo.

Não é difícil entender porque a maioria dos brasileiros tem o arquipélago como desejo de consumo, já que estão ali algumas das praias mais bonitas do país, as melhores condições para a prática de mergulho, e um ambiente bem preservado onde pode-se observar a natureza com menos interferências humanas.

Mas também é um destino pouco acessível, tanto pelas restrições de número de visitantes diários, quanto pelos altos preços dos serviços e produtos. É importante ressaltar que nem sempre os preços são altos pela ganância do pessoal de lá. Na ilha não se produz quase nada, e tudo tem que vir do continente de barco ou avião. Como são 500 km até Recife, a viagem dura 3 dias, o que aumenta muito o preço dos produtos, não só para os turistas, mas para os moradores locais também.

Abaixo seguem algumas dicas para gastar um pouco menos, e finalmente conseguir organizar sua viagem para este paraíso.

Passagem

A passagem é uma boa parte do gasto, e também da economia nesta viagem. Costuma ser em média R$ 2000, mas dependendo da época pode ser bem mais cara. Para evitar este gasto a melhor forma é comprar a passagem com milhas, com antecedência.

O trecho para lá com milhas pode ser até 50.000 pontos, mas comprando com vários meses de antecedência, pode-se conseguir com 10.000. Eu comprei com 9 meses de antecedência. Sofri com a expectativa, mas valeu a pena.
Eventualmente, embora seja bem raro, acontecem promoções de passagem para a Ilha. Nestes casos, não pense duas vezes. Remarque as férias, se necessário para coincidir com a disponibilidade de datas.

Ande a pé e de ônibus

Transporte público Fernando de Noronha

Transporte público Fernando de Noronha

Outro grande gasto por lá é com a locomoção. Como as praias não ficam concentradas próximas à vila, o mais comum é a pessoas alugarem buggys para chegar aos lugares.

A questão é que a diária de um buggy custa pelo menos R$ 150, e o litro da gasolina estava a R$ 4,50 em setembro de 2013. Assim, em vários dias já terá gasto bem mais.

O ônibus é bem novinho, passa com uma boa frequência, roda de 7 da manhã a meia noite, e te deixa bem próximo a quase todos os lugares que você vai querer ir. Com uma caminhada de 20 minutos você chega a quase todas as praias. Custa R$ 3. Passa no aeroporto, então não precisa pegar taxi.

Apenas as praias Cacimba do Padre e Leão estão a uma caminhada um pouco mais longa – mas totalmente possível. Nestes casos pode apelar para a carona. Eu consegui rapidamente com os demais turistas que estavam de buggy.

Leve lanchinhos

Uma mala grande é contra meus “princípios” de minimalismo. Mas nesta viagem valeu a pena reservar um espacinho para algumas barrinhas de cereal e biscoitinhos. Desta forma eu comia bastante no café da manhã da pousada, segurava a onda com lanchinhos, e deixava para comer na rua só no fim da tarde. Evitando assim comer duas vezes em restaurantes, ou pagar os altos preços das barracas de praia. Até porque em várias praias não há estrutura de barraca, então se não levar o lanche vai querer ir embora mais cedo para comer.

Evite fazer os passeios

Praia do Sancho

Praia do Sancho

Quando digo isso é porque a visita às praias já é tão bacana, tem mirantes com vistas maravilhosas, tem muitos animais a serem avistados com um simples equipamento de snorkel, que talvez não seja necessário pagar por passeios. Mas você tem que avaliar se realmente compensa economizar nisso.

O passeio do Ilhatur te leva “correndo” para conhecer algumas das principais praias e pontos turísticos da ilha. Se você se organizar consegue fazer o mesmo roteiro no seu tempo, sem a correria, e sem a necessidade de pagar.
Se for passar apenas 2 ou 3 dias talvez seja a única forma de ter a visão geral da ilha. Mas você não vai fazer um puta sacrifício para conhecer o lugar dos seus sonhos e passar apenas 3 dias, né?

O passeio de barco te leva para dar uma volta pelas ilhas secundárias e pelo mar de dentro. Vai passar por praias que você pode conhecer indo pela terra. É verdade que ver a ilha desde o mar é diferente, mas querendo economizar, é algo que você pode cortar.

Se for mergulhar, o barco fará parte desse trajeto, e já te dará o gostinho de ver a ilha de longe. Pegando dois mergulhos, um em cada ponta da ilha, já matou o passeio de barco inteiro!

O Aquasub é uma pranchinha que você segura e é rebocado por uma lancha. Todos elogiaram muito. Mas em qualquer mergulho livre (com snorkel pela superfície) você vê tantos animais, que não seria uma perda tão grande assim. Custa R$ 90.

Tem também o NAVI, barco com fundo de vidro. Mesma situação da pranchinha, e a economia seria de R$ 190.

Embora eu não tenha achado o preço do aluguel dos equipamentos lá tão alto, levando de casa a máscara, o snorkel e a nadadeira você economiza. Em todas as praias há condições para mergulho livre, será uma das atividades mais frequentes e surpreendentes. Sem contar que tendo os seus próprios é mais higiênico do que usar um em que todo mundo coloca a boca, ou uma máscara em que várias pessoas já cuspiram (cospe-se na máscara para evitar que ela embace durante a atividade).

Ficar nas Pousadas Domiciliares

Em Fernando de Noronha a maioria das pousadas é domiciliar. Existem algumas poucas mais sofisticadas, mas que custarão até R$ 1000 a diária. Num lugar com tantas belezas naturais, um hotel bonito faz pouca falta. Fique em casa só para dormir e tomar banho.

Além disso, ainda vai ter um maior contato com a população local, escutar histórias sobre o cotidiano de viver em Fernando de Noronha, e um atendimento personalizado.

Eu encontrei a minha pelo Booking.com (link afiliado)

Restaurantes mais simples

Eu dei sorte de ficar hospedada próxima a este restaurante que dizem ser o mais barato da ilha. Uma refeição individual com bebida custa R$ 20 (para Noronha é um preço bem bacana). Fica perto do supermercado Poty, na Vila do Trinta. Para repor as energias depois do mergulho era uma ótima opção.

 

Provavelmente há outros restaurantes mais em conta, que são usados pela população local. Pegue a dica com a pessoa da sua pousada.

 

****

Baía dos Porcos

Baía dos Porcos

Seguindo essas dicas você estará gastando um pouco menos, embora ainda sentirá que pagou mais do que em outros lugares a que foi. Mesmo assim, pode ser a diferença entre ter condições para ir em breve, ou ficar esperando um momento melhor para um futuro incerto.

Mais dicas para curtir Noronha o site Viagem na Viagem tem um guia completíssimo!

O blog Comendo Estrada também fez um relato bem completo da estadia super econômica dele!

 

Leia mais sobre Fernando de Noronha:

O que fazer em Fernando de Noronha?

As praias de Fernando de Noronha



Booking.com

*Reservando seu hotel por este link, sem nenhum custo extra pra você, eu recebo uma pequena comissão que ajuda a cobrir os custos de manutenção deste site! Obrigada!

29 comentários

    • planejoviajar 12 junho, 2014 at 22:17 Responder

      Oi Virgínia! Eu fiquei na pousada Solar do Trinta, que reservei pela decolar.com. Foi tipo 200 reais em setembro do ano passado, nao sei se houve algum aumento.
      Se ficar lá, comenta com os donos que foi a Ana Beatriz de Brasília quem indicou.
      Abraço!

  1. viajandofotografando.com 16 Março, 2016 at 09:38 Responder

    Fernando de Noronha é um lugar maravilhoso. Muita gente quando pensa em viagem pensa logo em ir pra europa ou outros lugares fora do Brasil, sem de fato conhecer o Brasil. Se tem um lugar que vale a pena conhecer é esse nosso Brasilsão!

  2. jane 1 Janeiro, 2017 at 15:13 Responder

    fui a noronha no começo de novembro com um amigo q já vai lá há anos e todo o ano. comprei as passagens no início do ano. a ida por 21 mil milhas e a volta por 435+5 mil milhas. esse amigo fez amizade com uma senhora q deu desconto para gente na pousada. uma casinha suuuper simples e nem tinha café da manhã. foi o lugar mais simples q já fiquei, empatou apenas com superagui q mesmo assim ainda tinha café da manhã. levei bastante comida e me arrependo de não ter levado mais. levaria uma mala só de comidas, frutas, granola, frutas secas. Até agua eu levei. comprei meu snorkel. só andei de onibus, a pé e de carona. comi algumas vezes um um restaurante na vila dos remédios, que fica num pequeno centro comercial com farmácia, lojinha de souvenirs e esse restaurante. Eu esqueci o nome, mas fica do lado de uma loja da marca Neuronha atras do ponto de onibus, em frente a pracinha. O prato que dava para nós dois era 40,00 em média. almoçamos em um buffet muito bom e preço razoável chamado empório são miguel. buffet no almoço apenas. não contratei nenhum passeio. se vc tem pernas não rpecisa de buggy. ANDE DE TÊNIS. até leve o chinelo na mochila, mas ande de tênis por lá e muuuita água. é uma ilha. vc não atravessa a rua e encontra uma lanchonete como em copacabana. já comprei minha passagem de ida e volta para outubro de 2017. Paguei oito mil milhas ida e oito mil volta. Achei na azul de madrugada e não resisiti. COMPREI!!! MARAVILHOSO E QUERO VOLTAR SEMPRE.

    • Ana Beatriz 12 Janeiro, 2017 at 08:58 Responder

      uau Jane! Minha viagem foi tipo a sua, esquema mais barato possível e foi ótimo!

      Obrigada pelas dicas!!!

      Me deu saudade de Noronha! Lugar muito bacana!

      Beijo!

  3. Rota Terrestre 25 Janeiro, 2017 at 08:25 Responder

    Olá, Ana!

    Também economizei bastante utilizando essas estratégias, ficando em pousada domiciliar, levando lanchinhos, não fazendo os passeios ilha tour e de barco.

    Só nas jantas que acabei indo em alguns restaurantes mais famosinhos e aluguei o buggy alguns dias, mas não me arrependo. Noronha é incrível!

    Grata pelas dicas! Beijo

  4. Lourivaldo 26 Janeiro, 2017 at 13:01 Responder

    Olá!

    ótimas dicas, certeza que vou aproveitar cada uma delas, viajo dia 19 de fev agora ficarei 5 dias, depois conto os detalhes da minha experiência, mas com suas dicas sei que já facilitou muito minha estadia por lá.

    bjao

  5. Victor 2 Fevereiro, 2017 at 12:23 Responder

    Muito bacana o blog, agradecido! Gostaria de saber se pra freqüentar as praias tem que pagar, ouvi dizer que se paga uma taxa por ser reserva ambiental. Também não faço questão de luxo, vou procurar uma pousadinha simples. Vlw!!!!!

    • Ana Beatriz 4 Fevereiro, 2017 at 18:04 Responder

      Oi Victor! Metade das praias na ilha estão num parque nacional, e o ingresso custa R$ 99,00 e dura 10 dias para visitar todas as praias, quantas vezes quiser.

      Abraço e boa viagem!

  6. Camila 27 Fevereiro, 2017 at 16:33 Responder

    Amei o post. Eu vou em setembro desse ano com meu esposo e meus pais. Quero aproveitar muito e tenho planejado a viagem desde novembro do ano passado. Estou super ansiosa haha.
    Vou ficar na Posada do Carlinhos, e já estou amando o serviço de atendimento deles mesmo que por telefone, muito atenciosos e prestativos (reservei pelo Booking.com).
    Eu tenho procurado dicas pra economizar em comida haha, e estou pensando em reservar bastante lugar na mala pra levar água e biscoitos.
    Ah e pra quem está planejando ir à Noronha, não pode esquecer da taxa ambiental, que é cobrada por dia de estada na Ilha.

  7. Flávio Souto Lima 29 Março, 2017 at 11:31 Responder

    Gostaria de saber sobre o seguinte: Irei agora dia 09 de abril com minha esposa, e queria saber se poderia levar bebidas na bagagem de mao, pretendo levar uma mochila so com lanches e bebidas, ate pensando em levar um espumante ja daqui, acha que teria algum problema em levar isso???

  8. Flávio 16 junho, 2017 at 21:36 Responder

    Ana

    Estou indo semana que vem e vi no site do estado do Pernambuco que a taxa ambiental pra entrar em Noronha estava uns 70 reais a diária!!! É obrigatório isso?

    • Ana Beatriz 26 junho, 2017 at 19:34 Responder

      Oi Flavio! Sim, as taxas são obrigatórias! hehehe não tem jeito, para conhecer o paraíso tem que desembolsar uma graninha… Abraço! Boa viagem!

Deixe uma resposta