Dez passeios incríveis na Terra Santa

Abelhudas que somos e doidas por trocar experiências entre nossos leitores, pedimos à funcionária pública mineira Isabella do Nascimento Reale, que escolhesse e compartilhasse com nosso leitores os dez passeios  incríveis à Terra Santa que fez, em outubro deste ano.

Ir à região é o sonho de consumo de muitos católicos. Não foi o motivo da  Isabella. Ela não é católica nem pensava fazer essa viagem, embora quisesse muito conhecer Israel e Egito, não pela religião, mas pela história e geografia.

A ideia da ir à Terra Santa surgiu com o convite de uma grande amiga, que viajaria com o pessoal da igreja que frequenta. De cara, Isabella, que mora em Belo Horizonte, pensou: "Como não sou católica, se eu for nesta viagem será que vão me achar estranha? Ah, quer saber? Vou sim!".

Na mesma semana começaram a planejar tudo e no, meio do mês de outubro, embarcaram. Isabella não se sentiu um peixe fora d´água, como temia. "Foi divertido, conheci pessoas superbacanas e pude aprender muito com elas também". Subir o Monte Sinai foi um dos grandes desafios, mas ela encarou com bom humor, respeitando suas limitações.

Animados? Vamos viajar com a Isabella?

1 – As Pirâmides do Egito

 

PIRAMIDES EGITO

Fotos: Isabella Reale/Divulgação

Elas estão no Deserto do Sahara (O Grande Sahara ou o Grande Deserto), bem nos arredores da cidade do Cairo. Você não tem que andar horas para encontrá-las. Do meu hotel até as Pirâmides não gastamos nem 10 minutos de ônibus.

Ahhh! As Pirâmides de Gizé — Queóps, Quéfrem e Miquerinos —, grandiosas e imponentes! Quando fui chegando perto delas, passou um turbilhão de coisas na minha cabeça: o quanto elas são antigas, as pessoas que as construíram, as dificuldades daquela época, as histórias de vidas que ali se guardaram...!

Fique esperto com os vendedores ambulantes. Eles estão por toda parte; praticamente empurram as coisas que querem vender no seu colo. Se você pegar/tocar a mercadoria, um abraço.... Você vai ter de comprá-la, sem chance de eles a receberem de volta. E ainda ficam bravos se você não pagar.

Não se engane com a simpatia que demonstram quando se aproximam de você, falando até em português que amam o Brasil e a chamando de “amiga”. Há-há! Eles querem que você compre. Aliás, isso é bastante comum em todos os lugares que você visitar no Egito, não só nas Pirâmides.

Falando no Cairo, imaginei que seria exuberante e me enganei, pois encontrei uma cidade muito grande, pobre e descuidada; nota-se isso nas construções, nas pessoas e nas ruas.

Uma curiosidade sobre as construções do Cairo: você vai ver que elas nunca terminam e a grande maioria têm cor de tijolo, dando a impressão de que cidade é toda marrom.

Tudo parece sempre em reforma: por cima das casas ainda tem o início da construção de outras. Isso porque é costume, quando um parente próximo se casa, começar a formar a família perto dos parentes. Então você vê casas de quatro, cinco andares, ou seja, pequenos prédios.

2 – Subida do Monte Sinai (Egito)

MONTE SINAI

Só para os fortes. Rsrsrsrs. Se você resolver subir o Sinai (segundo a Bíblia é o local onde Moisés recebeu os Dez Mandamentos de Deus), saiba: não é fácil mas desafia a nossa curiosidade de chegar ao desconhecido. A trilha é bem rústica, cheia de pedregulhos, o que dificulta, e muito, a subida.

Os cajados, que você pode alugar por uns US$10 dólares nas lojinhas dos hotéis próximos, ajudam muito na caminhada. É necessária também uma lanterna, pois a subida é feita no início da madrugada, e são quatro horas para chegar lá em cima. O ideal é ter um beduíno como guia, já que eles conhecem a montanha de cima a baixo.

Um certo preparo físico é importante. Como não o tenho, quase morri ao chegar lá no alto. Não continuei o restante dos quase mil degraus, para alcançar a igrejinha do topo, porque minhas pernas já não obedeciam ao meu comando. Mesmo assim, fiquei supersatisfeita, pois a sensação de subir o Sinai é maravilhosa e a visão do nascer do sol ao amanhecer é sensacional, lindo mesmo!

Até deu pra tirar um cochilo no posto dos beduínos, que eles mantêm quentinho, porque a madrugada no deserto é fria! Então é bom fazer a caminhada com um casaco ou moleton.

Existem cinco pontos de descanso na subida, são os postos de parada dos beduínos, onde se vendem água e algumas coisinhas para comer. No dia em que eu subi, somente o último posto estava aberto; então todas as paradas anteriores para descanso foram muito rápidas, difícil para recuperar o fôlego.

Se você tem vontade de fazer esta caminhada/subida e acha que aguenta, vá sim! Vale a pena todo o cansaço. É um desafio e achei que não iria conseguir, mas cheguei lá!

Ahhh! Um detalhe: se você ficar com vontade de fazer xixi, os “banheiros” são atrás das rochas, não há outro lugar.

Antes de se iniciar a subida, logo na base da montanha, existe o Mosteiro de Santa Catarina, que é cativante e vale a pena a parada para umas fotos.

 

3 – Mar Morto (Israel)

MAR MORTO N

Achei fantástica a experiência de entrar nas águas do Mar Morto. Você boia, não afunda de jeito nenhum, é uma delícia, a água é transparente e bem morninha. Relaxante mesmo!

Não há vida neste mar, porque a concentração de sal e outros minerais é muito grande.Várias pessoas passam a lama negra no corpo, pois dizem que ela possui propriedades curativas. Vale muito a pena a passagem pelas praias e águas do Mar Morto.

4 – Tiberíades (região da Galiléia - Israel)

MAR DA GALILEIA

Tiberíades é muito gostosa, limpa e bem desenvolvida. Adorei dar umas caminhadas pela cidade, é tranquila. O centro comercial não é grande, mas é bem legal e tem até alguns barzinhos onde foi agradável tomar uma cervejinha.

É onde se localiza o Mar da Galileia que, apesar de ser chamado de mar, é o maior lago de água doce de Israel, cheio de vida, ao contrário do Mar Morto, e muito bonito. Foi nesse mar que, segundo a Bíblia, Jesus andou sobre as águas e nessa região Ele viveu grande parte de sua vida.

É lá também que fica Cafarnaum, a cidade de Jesus, que lá pregou e fez vários milagres. O sítio arqueológico deste local é muito interessante e a história é muito rica.

Também nessa região está a linda Igreja das Beatitudes (onde Jesus fez o Sermão da Montanha), com lindos jardins e uma vista incrível para o Mar da Galileia! Adorei! Você vê turistas de todo mundo nesta região.

5 – Haifa (Monte Carmelo - Israel)

HAIFA N (2)

Os jardins são lindos, principalmente os jardins Bahai, que eu achei incríveis, perfeitos!

Cidade linda e super tranquila, localizada ao redor do Monte Carmelo. Dá vontade de ficar andando, passeando sem pressa e até morar lá. A cidade tem um pouco do estilo do interior europeu, o que a deixa ainda mais bonita e agradável. Quando eu voltar a Israel, com certeza quero passar mais tempo em Haifa.

6 – Monte das Oliveiras (Jerusalém - Israel)

 

MONTE D OLIVEIRAS -DUOMO E SEPULCRO AO FUNDO

Do alto do monte tem-se a vista do Duomo da Rocha, onde está a rocha em que Abrahão preparou o sacrifício de seu filho Isaac (foto acima). Bem ao lado, fica o Vale de Cedrom, com vários túmulos. Gostei muita desta visita pelo conteúdo histórico, que é muito vasto.

Bem, de oliveiras... não vi muitas não. Somente no Jardim de Getsêmani (ao pé do monte) existem oliveiras que são da época do Império Bizantino e são cuidadas pelos franciscanos.

Este jardim é bem bonito! Do alto do monte se tem uma bonita vista da Igreja do Santo Sepulcro (onde Jesus foi crucificado e está o seu túmulo, porém vazio). E eu que achava que ela estava em cima do monte, mas não, é bem no meio da cidade de Jerusalém.

7 – Muro das Lamentações (Jerusalém - Israel)

 

MURO LAMENTACOES

Os peregrinos escrevem os pedidos num papel e colocam em algum buraco ou fresta do muro. Apesar de achar que não tinha mais espaço sobrando, acabei encontrando um lugarzinho para os meus pedidos. (Hehehehe).

Achei que iria encontrar um muro enorme, com quilômetros de construção, mas não, o muro não é extenso, mas é bem alto. As pessoas vão ali para orar e pedir coisas que acham impossíveis de serem realizadas.

O espaço de oração é dividido, uma parte somente para os homens e outra metade para as mulheres. As pessoas se sentam em cadeiras e ficam ali horas, rezando. É um dos locais mais sagrados para os judeus e também chamado de Muro Ocidental. Muito interessante.

 

8 – Qumram – (Israel)

QUMRAM

É um local cheio de cavernas e com um sítio arqueológico (foto) repleto de informações sobre o modo de vida da época de Jesus, como eles se banhavam, comiam, vestiam etc.

Foi nesse local que um beduíno descobriu os pergaminhos do Mar Morto que foram escondidos pelos Essênios, quando as legiões romanas chegaram à região. Várias transcrições da Bíblia foram feitas em Qumram; por isso, é tão importante para o Cristianismo!

Os pergaminhos estão expostos no Museu de Israel em Jerusalém, que aliás, é fantástico, um dos museus mais bonitos e mais diversificados que já tive oportunidade de visitar, supermoderno. Qumram é muito bonita e tem uma lojinha ótima para você comprar lembrancinhas de viagem.

9 – Via Dolorosa (Jerusalém – Israel)

VIA DOLOROSA

É o famoso caminho por onde Jesus andou carregando a Cruz em seus últimos momentos de vida. Durante o percurso, existem 14 pontos de paradas, que são locais onde aconteceu algum fato durante a caminhada de Jesus. Nove desses pontos podem ser identificados durante a caminhada, os outros cinco restantes ficam dentro da Igreja do Santo Sepulcro.

Cheguei lá achando que iria ter que caminhar por horas e que seria difícil, mas não é assim: o caminho da Via Dolorosa não é demorado e não existem subidas, como eu imaginava. Você caminha bem no centro comercial, em meio aos corredores pequenos, com várias lojinhas ao redor.

Fiquei imaginando Jesus carregando a cruz por todo o caminho e o quanto ele deve ter sofrido. Para mim, essa caminhada foi agridoce, porque me senti triste pelo sofrimento de Jesus e ao mesmo tempo emocionada em caminhar por onde ele passou.

10 – Os mercados árabes (Velha Jerusalém – Israel)

 

MERCADO ARABE

 

Se você quer comprar coisas mais baratas e lembrancinhas, o mercado árabe é o local. Os comerciantes árabes são duros na queda, na hora de negociar. Claro que você pode pechinchar, mas não insista demais porque eles podem xingar e até empurrar você para fora da loja.Eles não vão ter muita paciência para esperar você entrar na loja deles e ficar “dando uma olhadinha”, como fazemos aqui no Brasil.

Não espere que eles sejam muito educados ou atenciosos com você, não vai acontecer; basicamente, ou você compra ou sai da loja. É claro que existem as exceções, né! Talvez eu não tenha dado sorte com alguns vendedores... (Hehehe).

Como eu era marinheira de primeira viagem, não sabia nada disso, aconteciam situações bem engraçadas.  Então, sugiro que você tenha, pelo menos, uma ideia do que quer comprar.

O mercado é lotado de lojinhas e são várias ruelas pelas quais você pode caminhar, é um programa bem gostoso. No dia em que fomos até lá, creio que demos sorte, porque não estava muito cheio e deu para andar tranquilamente.

Fiquei imaginando aquilo ali cheio de gente, deve ficar que nem um formigueiro. Foi uma experiência muito legal, adorei! E não deixe de prestar atenção no troco de suas compras, em dólar, porque vários estabelecimentos, em Israel, só voltam o troco em moeda local, chamada Shekel, mesmo se você pagar em dólar. É desta forma que eles comercializam lá e não tem o que se discutir com eles. Só ficar esperto para ver se foi feita a conversão da moeda para o valor certinho.

Bastidores: melhor não ir sozinho (a)

A Isabella viajou pela companhia aérea Alitalia, classe econômica, fazendo SP-Roma-Cairo e volta por Tel Aviv- Roma-SP. Achou desconfortável e cansativo. Mas classe econômica, né? De BH para São Paulo, foi pela Gol e voltou pela Azul. "Porém, indico que se contrate um voo internacional desde Belo Horizonte, por causa das bagagens": voo internacional permite 32kg, lembra?

Quem organizou a viagem foi um grupo da Igreja Nossa Senhora da Rainha do Belvedere, em Belo Horizonte. por meio de uma agência paulista, especializada nesse tipo de viagem (religiosa). Para quem ir por conta própria, Isabella sugere pesquisar bem sobre as regiões que vai passar, se informar sobre a cultura, ter alguma pessoa de referência no destino. "Quanto ao idioma, nem precisa saber falar bem o inglês, porque tanto no Egito quanto em Israel eles também não falam. Mas, no fim, todos se entendem".

É importante o acompanhamento de guias experientes, que conheçam os costumes dos locais, considerando ainda o fato de que são regiões de constantes conflitos e guerras, realidades bem diferentes do que estamos acostumados aqui no Brasil e em viagens da rota EUA/Europa, pelo menos até os atentados deste ano em Paris e outros ataques em cidades do continente europeu, incluindo a queda do avião russo no Deserto do Sinai, cuja origem comprovada foi um atentado à bomba provocado pelo Estado Islâmico.

Segundo a Isabella, em Israel você vê, praticamente todo o tempo, soldados andando por toda parte com suas metralhadoras. (Não está muito diferente de Paris e Bruxelas). Mas não fique preocupado, eles até tiram fotos se você pedir; mas não as tire sem autorização! Agora, se você quer fazer esta viagem por conta própria, certifique-se de que possui todas as informações para tentar evitar os comportamentos inadequados, que causem os “perrengues” e os contratempos.

Valeu demais a experiência!!! Nunca achei que iria conhecer esses lugares, mas quis e conheci. Fui, vi e achei incrível! Se você tem esse sonho de viagem, poupe, junte sua grana (principalmente com o dólar em alta), planeje com antecedência. Tenho certeza de que você poderá fazer uma viagem tão inesquecível quanto foi a minha!

Participe do "Sua Viagem"

Gostou da história de viagem da Isabella? Mande a sua pra gente do Planejo em planejoviajar@gmail.com. A gente adora conhecer coisas novas e compartilhar experiências. Beijão!

 

 

38 comentários

    • Marlyana Tavares 27 novembro, 2015 at 09:17 Responder

      Kellen, viajar é tudo de bom MESMO. A Isabella saiu da zona de conforto e se jogou. Quantas vezes a gente fica arrumando mil desculpas para não embarcar numa viagem né? O relato da Isabella é um exemplo. Se gostou, explore também outras histórias de leitores no blog. Se tem uma história pra contar encaminha pra gente, é só escrever para planejoviajar@gmail.com, marlyanatavares@gmail.com ou me ligar no (31) 9 99786008. Curta nossa página do Facebook, compartilha com os amigos.Ficaremos muito felizes!

  1. Patrícia Murta Lemos 26 novembro, 2015 at 14:24 Responder

    Izabela,

    Fiquei encantada com as fotos, as histórias e o aprendizado que você trouxe da Terra Santa. Com certeza será uma experiência inesquecível! Que a paz de espírito que você encontrou em Israel perdure para sempre no seu coração.

    beijos

    • Marlyana Tavares 27 novembro, 2015 at 09:09 Responder

      Olá Patrícia, e não é que a Isabella aprendeu muito mesmo sobre a história e a geografia que ela tanto ama? E se emocionou também com os passos de Jesus. Temos uma aba no blog o “Sua Viagem”, onde abrimos espaço para compartilhar histórias dos leitores. E se você gostou, curta nossa página do Facebook, sugira aos amigos, dá uma entradinha lá no blog, viaje com a gente, dê opiniões, sugira roteiros. A gente vai ficar muito feliz. E se tem ou conhece alguém que tem uma viagem bem bacana pra compartilhar com a gente, é só escrever para planejoviajar@gmail.com, marlyanatavares@gmail.com ou me ligar no (31) 9 99786008.

  2. Paula Reale 26 novembro, 2015 at 17:34 Responder

    Que viagem incrível!! Me inspirou a fazer uma dessas!! Quantas experiências extraordinárias você trouxe de lá! As foros ficaram maravilhosas!! Beijos

    • Marlyana Tavares 27 novembro, 2015 at 09:12 Responder

      Ei Paula, aproveita o exemplo da Isabella e vai também. Você gosta de viajar? Lá no nosso blog, o Planejo Viajar, tem muita dica legal para você organizar sua viagem. E se você tem ou conhece alguém que tem uma história bem bacana pra contar pro “Sua Viagem”, espaço que criamos especialmente para os leitores, mande sua sugestão ou entre em contato curta nossa página do Facebook, compartilha, dá uma entradinha lá no blog, viaje com a gente. É só escrever para planejoviajar@gmail.com, marlyanatavares@gmail.com ou me ligar no (31) 9 99786008.

  3. Fernanda Reale 26 novembro, 2015 at 20:22 Responder

    Adoreiiii o seu relato sobre a viagem. Lugares bonitos e as historias super interessantes!Nos da vontade de fazer essa viagem. As fotos ficaram lindas e dignas de uma matéria tao interessante sobre a Terra Santa! E que venham mais viagens, e muito mais histórias. Arrasou!

    • Marlyana Tavares 27 novembro, 2015 at 09:05 Responder

      Ei Fernada, a Isabella arrasou, não? E o jeito dela de contar a história é muito legal também. Como você, também gostei muito das fotos. O relato da Isabella está na aba Sua História do nosso blog. Queremos, não só falar de nossas viagens, mas compartilhar os relatos relevantes dos leitores, com suas dicas. Se você gostou, curta nossa página do Facebook, dá uma entradinha lá no blog, viaje com a gente. E se conhece alguém que tem uma viagem bem bacana pra compartilhar com a gente, é só escrever para planejoviajar@gmail.com, marlyanatavares@gmail.com ou me ligar no (31) 9 99786008.

  4. Júlio César 27 novembro, 2015 at 10:30 Responder

    Gostei dos relatos de viagem da Isabella,os comentários foram literamente da forma “Isa” de ser.Eu pretendo um dia fazer uma viagem dessas,mas como sou ” religioso” é bem comum querer fazer essa viagem,mas ver o relato da Isabella me faz alimentar ainda mais esse desejo.Parabéns Isabella e que você possa compartilhar, mais e mais viagens com a gente.

    • Marlyana Tavares 27 novembro, 2015 at 11:46 Responder

      Ei Júlio César, tudo bem? Que bom que você gostou. Foi legal mesmo isso de ela se declarar não católica e mesmo assim ter se emocionado tanto com os lugares bíblicos. Acho que sentiria o mesmo se estivesse lá. E se você tem ou conhece alguém que tem uma história bem bacana pra contar pro “Sua Viagem”, espaço que criamos especialmente para os leitores, mande sua sugestão ou entre em contato curta nossa página do Facebook, compartilha, dá uma entradinha lá no blog, viaje com a gente. É só escrever para planejoviajar@gmail.com, marlyanatavares@gmail.com ou me ligar no (31) 9 99786008.

  5. josephina reale isaac 27 novembro, 2015 at 22:06 Responder

    querida sobrinha,voce soube muito bem descrever os lugares por onde passou!!Viajei com você!!!Recordei e me emocionei com os seus relatos!Tenho muita vontade de voltar em Israel!Gostei de tudo lá!!Quem sabe para frente não faremos uma viagem juntas?Bjs

  6. Carolina 30 novembro, 2015 at 15:45 Responder

    Isabela que viagem fantástica! Seu relato ficou show de bola, com ele nasceu uma vontade enorme de conhecer a Terra Santa. Parabéns pela bagagem conquistada! Um beijão pra vc!

  7. LILIAN 30 novembro, 2015 at 16:05 Responder

    Muito Show Bella!!!! AHAZÔ no relato da nossa viagem… deixou bem transparente o quão magnífica foi e tamanhas as diferenças culturais!

    • Isabella Reale 30 novembro, 2015 at 20:30 Responder

      Oi Lili!! Ah nossa viagem foi mara, né!! Se, além destas, eu fosse falar de todas as outras coisas que gostei, iria demorar muito pra passar todas as informações. Hehehehehe beijo

  8. Miracy 30 novembro, 2015 at 19:06 Responder

    Oi, minha querida Isabella! Que bom que essa viagem tenha lhe deixado belas recordações e lhe tenha oferecido valorosos momentos de reflexão. Ao relatar a sua viagem e descrever com entusiasmo os lugares por onde passou, deixou-nos um agradável convite para também fazermos essa viagem. Eu ainda vou realizá-la! Viajar é angariar conhecimentos que não se perdem jamais, pois ficam retidos em nossa mente, em nosso coração e em nossas retinas! Que bom que você resolveu ir!Valeram a nossa troca de ideias e um pouco do meu conhecimento histórico e bíblico repassado para você antes da nossa viagem… Você pôde entender melhor cada passo seu. Obrigada pelas beleza das imagens e pela sequência e linguagem do seu texto. Viajamos um pouco com você. Prepare-se para a próxima, na qual queremos estar juntas: você, Nanda e eu. Beijos.

  9. Iris Lage 30 novembro, 2015 at 19:29 Responder

    Isabella,
    Parabéns pelo seu magnífico relato. Já fiz esta viagem e você retratou muito bem as emoções da Terra Santa. Revivi todos os momentos através das suas palavras.
    Abraços,
    Iris Lage

  10. Érika 9 dezembro, 2015 at 14:10 Responder

    Olá Isabela, adorei a história de sua viagem. Tenho muita vontade de ir à Terra Santa conhecer os locais por onde Jesus Cristo viveu. Agora deu mais vontade ainda… vendo suas fotos maravilhosas… parabéns pelo passeio. Abraços

Deixe uma resposta