Como visitar as vinícolas de Mendoza sem gastar muito

A maneira mais prática de conhecer a vinícolas de Mendoza é contratar um motorista por todo o dia, já que se você vai beber, não vai dirigir, certo? Mas os viajantes econômicos, vulgo mochileiros, também tem uma chance na capital dos vinhos argentinos. Veja a seguir algumas dicas ninja que eu aprendi quando passei por lá.

Bicicletas em Maipu

Vinícola Trapiche em Maipu - Mendoza

Vinícola Trapiche em Maipu - Mendoza

Maipu é uma cidade na "grande Mendoza" com uma concentração de vinícolas, ou bodegas, como dizem os argentinos. É possível alugar uma bicicleta e visitar várias no mesmo dia. Há um passeio oferecido pelas agências que inclue guia e degustação em algumas bodegas.

Contudo, se você quiser ir sem guia é bem simples e um pouco mais barato. O ônibus do grupo 10 números 171, 172 ou 173 (sim, em Mendoza há duas numerações) você chega a Coquimbito, que é o distrito de Maipu onde estão as vinícolas.

No centro de Mendoza, o ônibus passa pelo ponto na esquina das ruas Catamarca e Rioja. Peça ao motorista para descer próximo à polícia de Coquimbito. Para pegar ônibus em Mendoza é necessário comprar um cartão e recarregá-lo em algum kiosko.

Há umas cinco locadoras de bicicleta por ali. Elas te entregarão um mapa com a localização dos pontos de interesse, uma garrafa de água e um número de telefone para ligar caso tenha algum problema com a bicicleta.

Vá bem cedo para ter tempo de conhecer o máximo de coisas.

Ônibus a Lujan de Cuyo

Vinícola Dolium em Lujan de Cuyo (ao lado da Chandon)

Vinícola Dolium em Lujan de Cuyo (ao lado da Chandon)

Outra zona com diversas vinícolas é a cidade de Lujan de Cuyo também na "grande Mendoza". Essa parte é maior e as vinícolas são menos concentradas. Também existe aluguel de bicicleta, mas é mais fácil visitar em ônibus.

Pegue o ônibus do grupo 1 que diga Lujan. E peça ao motorista para descer próximo às vinícolas. Toda a avenida San Martin, a principal de Lujan de Cuyo, está cheia delas. Um bom ponto de referência é a vinícola Lagarde.

Na avenida San Martin passa o ônibus 389 que te deixará na Rota do Vinho. É uma parte mais distante do centro da cidade, onde estão as vinícolas, Norton e Chandon, por exemplo. Este ônibus não aceita o cartão da cidade de Mendoza, o pagamento da passagem é feito em dinheiro.

É mais complicadinho visitar as vinícolas de Lujan de Cuyo sem carro, mas é possível. Novamente saia cedo porque o trajeto até lá é demorado.

Ônibus até Godoy Cruz

Escorihuela Gascón en Godoy Cruz. Uma das mais antigas de Mendoza

Escorihuela Gascón en Godoy Cruz. Uma das mais antigas de Mendoza

Godoy Cruz é a cidade da "grande Mendoza" mais próxima ao centro. O trajeto até lá é bem rápido. Em vários pontos do centro de Mendoza passam ônibus para Godoy Cruz. Há poucas bodegas nesta parte, por ser uma parte mais urbana. Mas pode ser uma boa opção para quando estiver com pouco tempo.

 

Outras dicas importantes

Degustação da Vinícola Trapiche

Degustação da Vinícola Trapiche

As vinícolas cobram cerca de R$ 10-15 pela visita, com direito a degustação simples de em média 3 vinhos da casa. Existem degustações mais caras para vinhos mais sofisticados. O objetivo da visita é vender vinhos.

Em alguns casos vale a pena pesquisar as vinícolas que quer visitar e fazer reserva. Comigo aconteceu várias vezes de chegar na porta e não conseguir entrar.

Vinhos para venda na Vinícola Escorihuela Gáscon

Vinhos para venda na Vinícola Escorihuela Gáscon

 

Leia mais sobre Mendoza:

26 fotos incríveis da viagem entre Mendoza e Santiago

Leia mais sobre a Argentina:

Como levar dinheiro para a Argentina?

Circuito Chico de Bariloche em bicicleta

A segunda livraria mais bonita do mundo em Buenos Aires



Booking.com

*Reservando seu hotel por este link, sem nenhum custo extra pra você, eu recebo uma pequena comissão que ajuda a cobrir os custos de manutenção deste site! Obrigada!

1 comentário

Deixe uma resposta