Como trabalhar viajando

Ultimamente está na moda largar tudo para viajar o mundo. Todo mundo tem pelo menos um conhecido que pediu uma licença no trabalho (ou demissão), trancou a academia, terminou o namoro, alugou o quarto e saiu com uma mochila nas costas e poucas certezas sobre o futuro.

Antigamente era comum pensar que viajar o mundo por um ano (ou dois, três, dez...) era um luxo para pessoas que tinham muito dinheiro, ou que tinham uma família que lhes enviaria dinheiro todos os meses. A verdade é que esta galera está indo com pouca grana, se virando entre um bico e outro, e bancando a viagem sozinha.

Alguns deles inclusive estão ganhando o mesmo que ganhavam quando trabalhavam de 8h às 18h em sua cidade, ou até mais.

Eu acabei de chegar de uma viagem de 14 meses pela América Latina, depois de pedir demissão do meu emprego público estável em Brasília. Neste tempo eu viajei com minhas economias, na maior parte do tempo, e fiz alguns trabalhos temporários para bancar parte das despesas.

Eu reuni neste post tudo o que eu aprendi nesses meses, conhecendo gente, lendo blogs e tentando algumas dessas opções. Separei em dois grupos: possibilidades de trabalhar nos locais visitados, e trabalhos que são feitos por internet, independente de onde você esteja.

Continue lendo para saber se você também pode largar tudo e trabalhar viajando!

 

Trabalhar no lugar

- Como garçom em bares e restaurantes

Esta talvez seja a forma mais fácil de trabalhar viajando. Em muitas cidades turísticas você não precisa comprovar nenhuma experiência para conseguir um trabalho temporário de garçon em um bar ou restaurante. O bom também é que eles sempre precisam de ajuda, então se você puder trabalhar por uma semana, ou duas, eles vão aceitar.

Saia pelos bares perguntando. O segredo é ser cara de pau. Quanto mais informal o estabelecimento, mais chances de você conseguir uma vaga.

Se não souber falar o idioma local, ou o inglês, talvez lavar os pratos seja a tarefa para você.

 

- Como recepcionista de hotéis

Esta vaga também é relativamente simples de conseguir, sobretudo em hostels. A regra da informalidade vale aqui também. Neste caso, você precisará falar pelo menos inglês básico para atender os viajantes estrangeiros.

Você pode conseguir uma vaga mandando emails para vários hostels do lugar que quer visitar perguntando se eles estão precisando de ajuda naquele período. Ou até no próprio local, visitando alguns e perguntando.

Há comunidades que ajudam o contato entre viajantes e hostels que querem receber ajuda temporária.

Workaway

Helpx

Worldpackers

Paraonde

Muitas vezes você não receberá em dinheiro, e sim em alojamento e alimentação. Em uma viagem, não gastar é o mesmo que ganhar. Só de não gastar com hospedagem suas economias já vão durar muito mais!

 

- Vendendo brigadeiros ou outros lanches

Sabe porque os argentinos viajam muito mais do que nós? Porque onde quer que eles vão, eles fazem empanadas e sanduíches de palta (abacate) para vender de um em um nas praças dos centros turísticos.

E o que quase ninguém sabe, é que o brigadeiro é um doce genuinamente brasileiro que não existe fora daqui. Onde eu fiz brigadeiro durante a viagem ele fez sucesso!

A dica é: para o paladar latinoamericano a nossa receita está perfeita. Você não encontrará chocolate granulado, mas pode comprar uma barra de chocolate normal e ralar. Para o paladar americano e principalmente europeu, ele pode parecer muito doce. Você pode tentar fazer uma receita com chocolate meio amargo.

 

- Como DJ

O Brasil é um dos países mais ricos em música. Sair pelo mundo divulgando nossos sons pode ser uma boa forma de ganhar uma grana extra durante as viagens, e ainda se divertir muito.

Em geral vale a pena ter um pouco de experiência antes de oferecer seus serviços. Durante a preparação da viagem, invista em um equipamento simples e leve de mixagem (que seja fácil de transportar na mochila) e aprenda alguns conceitos básicos de discotecagem. Existem cursos presenciais e online para se tornar um DJ.

Para treinar, vale oferecer para tocar de graça em algum bar ou nas festas dos amigos. Assim você vai aprendendo aos poucos o que anima o público e etc.

Para conseguir trabalho, visite os bares, hotéis, casas de show quando chegar ao local e ofereça. Quem sabe ofereça uma palhinha alguma noite para apresentar seu trabalho. Com o tempo, você pode conseguir indicações para as cidades vizinhas e ir trabalhando ao longo do seu roteiro.

 

- Pintando murais

Se você é artista e sabe pintar murais, também pode oferecer seu trabalho a medida que viaja. Muitos hostels trocam hospedagem e alimentação por alguma arte nas paredes. Em alguns casos pode até resultar em algum trabalho pago. Quanto mais autêntica e qualificada for a sua arte, mais você pode conseguir bons contratos.

 

- Housesitting

Ainda pouco conhecido no Brasil, o Housesitting é uma forma de troca de trabalho onde você cuida de uma casa e/ou animal de estimação em troca de hospedagem. O dono da casa viaja em datas específicas e encontra pessoas para cuidar da casa enquanto ele esteja fora.

Existem comunidades para colocar os donos das casas em contato com os cuidadores. Não é muito simples conseguir o primeiro contato, já que em geral os donos de casas procuram pessoas com referências.

Trusted Housesitters

Mind my House

 

- Oferecendo trabalhos de design gráfico

Hostels, agências de viagem, restaurantes nem sempre tem assessoria em design gráfico. Não é raro ver uma agência de viagens com cartazes feitos a mão ou com uma arte confusa em suas portas.

Ao longo da sua viagem você pode ajudar estes pequenos empreendimentos a vender mais e terem uma imagem melhor com o público.

Faça um pequeno portfólio com trabalhos que você já fez e visite as empresas oferecendo. Com algumas você também pode entrar em contato por email antes mesmo de chegar ao local.

Formate um serviço claro com um preço justo para você e para eles, e pode conseguir pagar parte dos custos da viagem desta forma.

 

- Dando aulas de idiomas

Esta é uma forma muito comum de viajar para nativos da língua inglesa. É incrível pensar que um australiano venha trabalhar na Bolívia, verdade? Mas eu conheci. E desta forma ele viabilizou uma viagem que não teria condições de fazer de outra forma, e ainda teve uma experiência de imersão na cultura local.

Se você fala inglês muito bem, pode tentar entrar na concorrência com os milhares de nativos que estão viajando com o mesmo propósito. Por outro lado, o português é um idioma que cresce como língua estrangeira, principalmente em locais que recebem muitos turistas brasileiros.

Na América do Sul, e até mesmo em partes da América do Norte como a Flórida e a Riviera Maia você pode conseguir algum contrato temporário como professora de português.

 

- Instrutor de Ski, Snowboard, Mergulho, Surfe

Se você gosta de esportes esta pode ser a sua chance de praticá-los de graça, ou melhor, ganhando por isso!

Quem gosta de esquiar ou mergulhar sabe que são hobbies caros. Só de não pagar para praticar, já vale a pena trabalhar como instrutor. Surfe é mais democrático, mas mesmo assim uma boa oportunidade de trabalhar viajando.

Em todos os casos, você terá que investir em sua formação antes ou no início de sua viagem. A mais barata e mais simples é a formação em instrutor de surfe. Para ser certificado, você precisa fazer o curso da IBRASURF. Não há muitas datas por ano, então é bom se programar com antecedência.

Para o ski e snowboard, recentemente foi criada a Associação Brasileira de Instrutores de Ski e Snowboard, a ABISS. O pessoal identificou uma demanda por instrutores que falam português, tanto nos EUA como no Chile e Argentina devido à quantidade de turistas brasileiros nesses locais.

O curso acontece uma vez por ano na Argentina e é ministrado em inglês. Exige-se ao menos nível intermediário na prática desses esportes para participação no curso. Mas é totalmente possível que você viaje um ano antes, pratique bastante e no ano seguite você faça o curso e já comece a viajar trabalhando como instrutor.

O mergulho é o que demanda maior investimento tanto de tempo como de dinheiro, mas o que tem a maior disponibilidade de cursos e datas para se certificar. Existem duas possibilidades: você pode trabalhar como Guia de Mergulho, para pessoas que querem fazer mergulhos recreativos em todos os destinos do mundo; ou como Instrutor, para os que querem se certificar.

Para certificar-se como Guia de Mergulho, você precisará fazer os cursos Básico, Avançado, Primeiros Socorros, Resgate e Dive Master. Para ser instrutor, além de todos estes, você ainda precisa fazer o curso de instrutor. Toda a formação pode levar meses e custar uma boa grana.

Mas, para quem gosta, a demanda por instrutores de mergulho é bem maior do que de Ski.

 

- Fotógrafo

Você pode oferecer suas fotos para empresas durante a viagem!

Você pode oferecer suas fotos para empresas durante a viagem!

Quando eu comprei minha câmera profissional para viajar, achava que a única maneira de vender minhas fotos seria em banco de imagens. O que é uma opção que você não precisa descartar.

Contudo há maneiras de ganhar algum dinheiro com fotografia nos próprios destinos que você vai visitar. Neste caso você precisará de algum investimento em formação e em equipamentos, mas não precisa achar que se não tiver 5 câmeras e 200 lentes você está fora.

Neste caso vale a pena oferecer para hotéis, restaurantes, agências de viagem uma sessão de fotos para renovar os sites ou panfletos deles. Você pode cobrar em dinheiro ou em troca de serviços. Imagine fazer aquele passeio caríssimo de graça em troca de fotos espetaculares que você já tiraria mesmo??

Para isso é importante fazer um bom portfólio e ter um serviço bem formatado. Os contatos podem ser feitos por email antes da viagem ou no próprio destino. O segredo é ser insistente e oferecer para todos sem se intimidar com os muitos nãos que vai receber.

 

- Produtor de Vídeos

Tudo o que eu falei para o serviço de fotografia vale para o de produção de vídeos. Só acho que o investimento em equipamentos e formação tenha que ser um pouco maior.

Hoje em dia os produtores de vídeo estão usando drones, equipamentos de iluminação, câmeras a prova dágua, etc. Em alguns casos é difícil produzir um vídeo sem ajuda. Mas se os viajantes são um casal ou um grupo de amigos fica bem mais fácil.

Veja alguns blogueiros que trabalham assim.

João Cajuda

Melhores Momentos da Vida

 

- Consultoria especializada

Você tem alguma qualificação especial que pode ser útil para alguma empresa, você pode prestar consultoria especializada. Por exemplo, quando eu fui para Cusco no Peru eu prestei uma consultoria de marketing em turismo para um grupo de empresas aproveitando a minha experiência profissional na área.

Este contato eu fiz por email, um pouco antes de ir. As empresas estão sempre interessadas em ajuda em projetos que possam fazê-las crescer. Saiba mostrar o que você pode oferecer e terá chances de conseguir algum contrato.

 

Siga a sua leitura para ver possibilidades de trabalho pela internet.

 

Trabalhar pela internet

- Escrever conteúdo para sites

Escrever conteúdo para sites é uma das maneiras mais acessíveis de se tornar um nômade digital. Nós todos sabemos escrever, mesmo que uns melhor que outros.

Para escrever conteúdo para sites, contudo, é importante se qualificar sempre. Existem várias técnicas para escrever um texto convincente e que converta em vendas para o cliente. Desta maneira leia bastante sobre Markenting de Conteúdo para se atualizar.

Há basicamente três maneiras de conseguir clientes: sites de trabalhos freelancer, agências de contéudo, e contato direto com os clientes. Para quem quer viver disso eu recomendo que invista nas três formas. O fluxo de trabalho é instável e você precisará sempre correr atrás de clientes se contar com esta renda para sobreviver.

Nos sites de trabalhos freelancer, vale a pena assinar as versões "premium" porque dá maior visibilidade para seu perfil profissional e mais chances de conseguir trabalhos, já que as ofertas ficam abertas apenas para os "premium" por dois dias.

O pessoal do Site Na Palma do Mundo tem contado com detalhes toda a experiência que estão tendo com trabalhos como produtor de conteúdo.

 

- Revisão de textos

Se você tem formação em letras este é o trabalho perfeito para você. Todo mundo que escreve um livro, um manual, um trabalho acadêmico precisa de uma revisão ortográfica e uma leitura crítica do texto.

Faça um bom site oferecendo seus serviços, com um portfólio. Deixe anúncios em universidades e quem sabe alguma publicidade nas redes sociais. Veja abaixo alguns exemplos de empresas que fazem isso.

Textifique

Escreva seu Livro

 

- Tradução de textos

Se você domina bem outro idioma pode conseguir trabalho traduzindo conteúdo de sites, livros, etc.

Pode oferecer seus serviços diretamente para clientes. Pense em empresas que podem ter o interesse de ter uma versão bilíngue do site, ou mesmo alguma empresa estrangeira que queira se divulgar para o público brasileiro com uma versão em português.

Também é possível conseguir trabalhos de tradução em sites de trabalho freelancer.

 

- Criar um site

Criar um site é a primeira idéia de negócio online que surge na cabeça da maioria das pessoas, e por isso mesmo a mais fácil de falhar. Na maioria das vezes, você deve criar um site como vitrine para algum serviço que você preste, já que ganhar dinheiro com o próprio site é muito difícil.

Sites que rendem dinheiro de publicidade são muito poucos, e significa ter uma visitação altíssima.

Meu conselho é, não crie o site até ter clareza do serviço que vai prestar, e então faça-o todo voltado para este objetivo.

Lógico que você pode ter um site como hobby, ou um blog para compartilhar com amigos suas experiências. Mas aqui estamos falando de trabalho, certo? Se a sua vontade é ter um espaço para escrever livremente, crie um blog grátis e não invista muito em design, hospedagem, publicidade, etc.

Para trabalhar com um site, crie um voltado para pessoas com interesses muito específicos e fale tudo sobre o tema. Neste meio tempo, vá buscando contatos de patrocínio, publicidade e programas de afiliados para implementar em seu site. Nele você também pode prestar serviços ou ter uma lojinha online.

 

- E-Commerce

Como eu acabei de citar acima, você pode ter uma lojinha online. Mas se você vai viver viajando, como vai administrar o estoque e colocar as encomendas no correio, verdade?

Ou você terá uma equipe fixa em algum lugar para cuidar desta parte para você, ou você pode usar o conceito de drop shipping. Neste modelo de comércio, você é um intermediário entre o comprador e o produtor. Por uma comissão, você faz a promoção dos produtos, o relacionamento com o cliente. Cada vez que uma compra é finalizada, você entra em contato com a fábrica e ela envia diretamente para o consumidor final.

Muita gente trabalha o dropshipping para produtos importados da China ou dos EUA, mas a verdade é que você pode montar um esquema assim para vender artesanatos, ou as camisetas criativas que o seu vizinho produz.

Se você está sempre voltando para casa, também pode trazer produtos dos países que você visitou e vender em sites como o OLX, Bom Negócio, Enjoei, etc.

 

- Programação, Webdesign e Design Gráfico

Eu não precisaria nem dizer para os programadores e designers que eles podem trabalhar remotamente pois eles sabem disso melhor que eu, e o mais provavel é que já trabalhem de casa.

Mas você, que ainda não é um deles, já pensou que pode fazer um curso desses nos próximos meses enquanto junta dinheiro e se prepara para a viagem? Sempre podemos desenvolver novas habilidades e aprender uma nova profissão.

 

- Dar aulas de idiomas online

Muita gente dá aulas de idiomas a noite depois do trabalho para complementar a renda, e porque não dar aulas de idiomas online enquanto viaja, também para complementar a renda.

Você pode anunciar seus serviços entre os amigos, e provavelmente já conseguirá clientes. Quantos deles pagam R$ 300 reais por uma aula de inglês ou espanhol? Poderiam pagar essa quantia para você e ter uma aula particular no conforto da casa deles, com flexibilidade de horários, não é mesmo?

Outra boa estratégia de divulgação é deixar anúncios em murais de universidades. No verbling você pode ensinar sua língua nativa e aprender outra.

Prepare as aulas com antecedência e deixe tudo arquivado, assim poderá usar para muitos alunos e aproveitar o trabalho.

 

- Gerenciar redes sociais de empresas

g

Gerenciar as redes sociais para empresas é uma idéia genial, ainda mais para você que já é mesmo viciado em facebook, verdade? É certo que a nossa experiência enquanto usuários das redes e fãs das melhores páginas de empresas já temos muito a contribuir.

Mas, da mesma forma que a redação de conteúdo para sites, gerenciar as redes sociais de uma empresa tem que estar dentro de uma estratégia clara de aumento de vendas, relacionamento com clientes, etc. Você não precisa necessariamente ter formação, mas precisa pelo menos estudar marketing digital antes de propor este serviço para as empresas.

Você pode encontrar trabalho em sites de trabalho freelancer ou entrando diretamente em contato com as empresas. Agências de publicidade e de assessoria de comunicação fazem este serviço, quem sabe alguma delas aceita contratar você para trabalhar remotamente?

 

- Coaching

O coaching é um serviço de orientação para pessoas ou profissionais voltada para cumprimento de objetivos pessoais e profissionais. A profissão está crescendo muito ultimamente. Existem muitos profissionais no mercado, e a cada dia surgem novos ramos para o serviço. Coaching de carreira e de vida são os mais comuns.

Em geral é preciso fazer uma qualificação para trabalhar como coaching. Existem cursos que podem ser feitos online para esta profissão.

Muitos coachs trabalham remotamente, orientando seus Coachees por Skype. Você pode se qualificar e começar a encontrar os clientes antes de sair de viagem, e depois apenas manter os atendimentos.

 

- Começar uma Startup

Eu deixei por último a mais complexa de todas as possibilidades. Segundo a Wikipedia, "Uma startup é uma empresa nova, até mesmo embrionária ou ainda em fase de constituição, que conta com projetos promissores, ligados à pesquisa, investigação e desenvolvimento de ideias inovadoras. Por ser jovem e estar implantando uma ideia no mercado, outra característica dela é possuir risco envolvido no negócio".

Quando eu saí de viagem eu achei que ao longo do caminho eu teria uma idéia genial e começaria a minha. Na verdade eu tive várias.

Mas eu também aprendi que idéias são muito valiosas, mas apenas se você consegue colocá-las em prática. Iniciar uma startup na maioria das vezes envolve uma equipe maior do que uma pessoa, e algum investimento inicial.

Pode ser uma boa idéia iniciar a startup antes de sair de viagem com parte do dinheiro que você vem economizando para largar seu emprego fixo. Existem bancos de idéias onde é possível entrar em contato com investidores e convencê-los a colocar dinheiro em sua idéia.

E se no meio da viagem surgir a tal grande idéia, não hesite. Procure uma equipe de pessoas - que você pode ter conhecido na própria viagem - e corra atrás de investidores porque pode ser a forma mais recompensadora de trabalhar viajando.

 

Renda passiva

Renda passiva é a forma ideal, o sonho de qualquer pessoa que quer viver viajando. Imagina passar seus dias passeando entre as ruínas da Riviera Maia e as dunas do deserto do Saara enquanto algum dinheiro vai caindo automaticamente em sua conta bancária?

Mesmo quem não tem uma fortuna milionária pode conseguir alguma renda passiva. Veja abaixo algumas possibilidades.

- Escritor de livros

Nem todo mundo pensa nisso, mas escrever livros pode ser a forma mais fácil de renda passiva. Não que escrever um livro que venda o suficiente para gerar renda seja fácil, mas pelo menos não envolve um grande investimento inicial.

Não existe uma fórmula para escrever um livro bem sucedido. Existem vários serviços de aconselhamento para escritores, coaching, técnicas de redação. Mas você terá que fazer o dever de casa, pesquisar quais são os temas com maior interesse pelo público e quanto estão dispostos a pagar por um pouco de inspiração, ou para aprender uma nova habilidade.

Ficção e Não-Ficção tem o seu espaço, basta você encontrar onde se sente mais confortável. Hoje em dia com o crescimento dos e-books, é muito mais fácil escrever e vender. Não descarte com tudo a idéia de lançar seu livro em papel, principalmente no Brasil eles ainda tem muito valor.

Podem acabar não gerando uma renda alta o suficiente para ser seu principal fonte de sustento, mas podem complementar o orçamento da viagem, enquanto você pega trabalhos temporários ao longo do roteiro.

 

- Fundos de investimento

Enquanto você está juntando dinheiro para viajar, pode aplicar este dinheiro em fundos de investimento que o farão gerar alguma renda passiva. Uma parte você precisará para pagar a viagem, o restante pode continuar investido e rendendo.

É importante se qualificar antes de investir o dinheiro todo na bolsa de valores e perder na semana seguinte. Existem diversos fundos com diferentes remunerações para diferentes situações. Há os que são melhores para investimentos de curto prazo, outros que só compensam se você deixar o dinheiro lá por pelo menos um ano.

Enfim, se puder usar parte das economias e do dinheiro da demissão para investir, pode conseguir alguma renda que complemente os seus ganhos de nômade digital.

 

- Aluguel de imóveis

É verdade que para viver de aluguéis você precisa ter um verdadeiro império e vários imóveis. Mas você já pensou que a vida de um viajante pode ser bem mais barata do que a vida que você leva atualmente em sua cidade. Em muitos casos aquele dinheiro do aluguel pode muito bem cobrir as despesas que não podem ser "pagas" com intercâmbio de trabalho como as passagens aéreas por exemplo.

Se você tem um apartamento, mesmo que pequeno, pode confiar no aluguel dele como complemento dos seus ganhos enquanto viaja, você vai ver que será uma renda importante no final das contas.

7 comentários

  1. Taner Palácio 19 julho, 2015 at 16:31 Responder

    E ai Ana! Bah eu estava pensando nesse assunto nos últimos tempos, e essa matéria caiu como uma luva para mim, largar o trabalho e cair no mundo é uma vontade que me deixa inquieto por ainda não ter feito, e que dá medo principalmente por essa questão financeira, mas realmente tem várias maneiras de se manter pelo que tu exemplificou. Bem veremos se realmente ano que vem eu caio no mundo, ou vou ficar só na conversa e vontade. Um abraço!

    • anabeatriz 20 julho, 2015 at 17:05 Responder

      Pois é! Agora eu vou soltar uma série de reportagens sobre pessoas que estão adotando profissões para viver viajando! Fica ligado e vai se inspirando para quem sabe ano que vem ser a sua vez! Abração Taner!

  2. Elvira Santos 7 agosto, 2015 at 05:39 Responder

    Eu semore quis trabalhar viajando fazendo matérias de turismo. Estou indo para a Suíssa em outubro, o Planejo Viajar se interessa por um frila meu?

  3. Mauro 11 agosto, 2015 at 14:13 Responder

    Ótimas dicas, repassarei adiante. Parabéns pelo site e pelos textos, estão excelentes, melhores ainda. Nas minhas próximas férias já estava pensando em discotecar nos hostels que passarei, até mais pra me divulgar, mas se pintar uma renda, será melhor ainda, bom saber da possibilidade. Até levei o equipamento quando viajei pra Belém, mas o hostel infelzmente não tinha um Pub ou bar pra botar um som.

    Nas próximas férias também farei o teste de levar uma bicicleta dobrável pra explorar melhor as cidades que perceber que são menos hostis a ela..

    Sucesso!

    • anabeatriz 11 agosto, 2015 at 20:21 Responder

      Que bacana, Mauro!

      Uma dica é já entrar em contato com o hostel antes da viagem. Assim já pode até escolher um hostel de acordo com a disponibilidade para este trabalho ou intercâmbio de trabalho.

      Boa viagem! E se der certo depois manda sua história para a gente!

      Ana.

Deixe uma resposta