Como organizar seu dinheiro durante uma viagem

 

Já chegou de uma viagem e a fatura do cartão de crédito estava muito maior do que o planejado? Eu sim! Meio na marra aprendi a me organizar para garantir que minha viagem ficará exatamente dentro do orçamento. Ainda depois que comecei meu período sabático e estou há um ano viajando sem fonte fixa de renda.

Veja abaixo como organizo minhas finanças para ter certeza que estou gastando apenas (ou menos) o que eu tenho reservado para cada dia.

Estabelecer um orçamento diário

Confesso que quando embarquei para meu ano sabático não tinha definido um limite diário de orçamento, e vivia preocupada se o dinheiro acabaria antes do tempo. Foi quando eu entendi quais eram meus gastos e pude estabelecer um limite médio diário e assim garantir que meu dinheiro ia durar o que ele tinha que durar.

Esse limite é médio, mas é máximo. Explico. Se algum dia eu fizer um passeio e gastar mais do que o orçamento diário, eu tenho que estabelecer um período em que vou gastar bem menos todos os dias, até compensar o gasto extra.

Você também pode deixar esses gastos extras previstos e fora do orçamento diário planejado. Por exemplo. Já sei que vou saltar de paraquedas e vai custar 300 reais, mas meu orçamento diário é 100 reais. Deixo os 300 fora da média, mas contabilizados no orçamento total da viagem. As passagens aéreas eu também costumo deixar fora do orçamento diário. Já as passagens de ônibus entre uma cidade e outra das férias entram no orçamento diário.

 

Anotar todos os gastos

A única forma de controlar se você está cumprindo o orçamento diário é anotar tudo. Absolutamente tudo! Uma gorjeta de cinquenta centavos: anota!

Eu costumo fazer uma planilha em que separo os gastos por tipo: alojamento, deslocamento, passeios, alimentação e compras. Assim eu posso fazer o filtro pelo tipo de gasto e as somatórias parciais, e entender onde gastei mais e onde posso cortar despesas.

O fato de anotar também nos deixa mais conscientes de cada gasto, e nos faz pensar se algo é realmente necessário antes de comprar.

 

Separar o dinheiro do táxi para o aeroporto e do último lanche

Já aconteceu comigo de gastar todo o dinheiro no último dia fora do Brasil para não precisar trazer moeda estrangeira para casa. Só que quando me dei conta, tinha gastado tudo e não tinha para pagar o taxi ou comer alguma coisa no aeroporto antes de embarcar.

Por isso, melhor já deixar separado para não correr esse risco.

 

Ter sempre algo em dinheiro ou forma alternativa de pagamentos no hotel

Incidentes acontecem. Infelizmente nunca estamos livres de perder nossos pertences, ou ser roubados. Podemos esquecer a carteira na bolsa de um amigo, ou nosso cartão pode parar de funcionar.

Por isso é sempre bom ter outro cartão,ou um pouco de dinheiro guardado em lugar seguro no hotel. Em qualquer necessidade, você tem como se virar até achar uma solução.

Quando eu fui assaltada, todos os meus cartões e meu dinheiro estavam na bolsa. Voltei para o hotel e tive que pedir dinheiro emprestado para pessoas que eu mal conhecia. Foi mais difícil e meio constrangedor.

 

Superestimar as taxas de conversão de moedas

Muitas vezes os orçamentos estourados tem a ver com cálculos subestimados da conversão da moeda. Se usarmos a taxa oficial de conversão para fazer nossas estimativas, com certeza vamos ter uma surpresa no final da viagem.

Se o dólar oficial está R$ 2,70, você o comprou por R$ 2,85, melhor arredondar para R$3 nos seus cálculos. Assim já compensa as taxas embutidas, e outras despesas que você não calculou. Já recebi uma fatura de cartão 25% mais cara do que eu estava planejando, só por usar a conversão oficial para controlar meus gastos.

 

Considerar que as compras em cartão de crédito não serão parceladas

Por mais que o lojista tente, as compras no exterior nunca são parceladas no cartão de crédito. Tenha isso em mente e se organize para pagá-las todas a vista quando chegar a fatura. Assim você evita o susto de não ter o dinheiro pra quitar a fatura do mês.

 

 

E você? Tem alguma outra forma de controlar seus gastos quando viaja? Conta para a gente nos comentários!

 

Quer receber mais dicas de viagem em seu email? Se inscreva em nossa newsletter!

 

5 comentários

  1. Mariana 18 dezembro, 2015 at 12:46 Responder

    Ana, cá estava eu com uma quantia em dinheiro e sem saber como gerenciá-la em minha viagem, mas o seu depoimento me auxiliou bastante. A anotação do que era comprado eu já fazia, mas não usava esses dados para futuras viagens e por conta dessas anotações deixei de comprar muitas bobagens.
    Obrigada!

    • Ana Beatriz 18 dezembro, 2015 at 21:05 Responder

      Opa Mariana! Que beleza! Bom saber que minhas dicas te ajudaram!
      Pois é… anotar tudo faz a gente ser bem mais consciente do que está comprando!
      Abraço e boas viagens!

Deixe uma resposta