Roteiro 16 dias Peru/Bolívia

Viajar para o Peru foi uma das experiências mais ricas da minha vida. Sempre tive o sonho de conhecer Cuzco e Machu Picchu, e em 2011 fui com um amigo na época do centenário da cidade perdida.

Segue abaixo o roteiro que fizemos, com uma pequena escapulida para conhecer o lado boliviano do Lago Titicaca.


1º dia – Saída de Brasília para Lima no voo direto da LAN (voo que não existe mais). Em Lima ficamos no bairro de Miraflores, e fizemos a caminhada pelo bairro, que é bem fofo! Passamos pela praça Kenedy que tem vários artistas de rua, o Parque del Amor com a vista para o Oceano Pacífico e os mosaicos de ladrilhos, e assistimos a um jogo de futebol da seleção Peruana. Foi toda uma experiência ver como eles comemoraram a noite inteira a terceira posição na Copa América 2011.

DSC00385

Vista do Oceano Pacífico no Parque del Amor em Lima

2º dia – No segundo dia fomos conhecer o centro da cidade, a Praça de Armas com os palácios de governo Nacional e de Lima, andamos no sistema de ônibus que parece um metrô, conhecemos a Praça San Martin, a Catedral, a Igreja San Francisco (não vi as catacumbas), o Museu de Arte de Lima e o Parque de la Exposición, que fica ao lado. A noite partimos para Arequipa.

DSC00730

Catedral na Plaza de Armas de Arequipa

3º dia – Caminhamos pelo centro de Arequipa, visitamos ao Monastério de Santa Catalina, uma construção religiosa imensa com praças, obras de arte. Almoço no terraço dos restaurantes localizado na rua atrás da Catedral. Visita guiada à Catedral, de cujo telhado tem-se uma vista da cidade e dos vulcões que a cercam.

4º dia – Continuamos a caminhada pelo centro de Arequipa, visitando igrejas e outros prédios como universidades, centros comerciais. Visita ao Museu da Universidade onde está a múmia da Juanita. Neste museu tem um pouco da história e da cultura inca, com artefatos de escavações arqueológicas.

5º dia – Saída para Chivay em ônibus turístico, parando no caminho para observação de llamas, vicuñas e aves; e num ponto de oração tradicional dos povos indígenas a 5000 metros de altitude. O trajeto em si vale a viagem, lindas paisagens de deserto e picos nevados. Ao chegar a Chivay visita ao balneário de Aguas Calientes.

DSC00817

Deserto no caminho entre Arequipa e Chivay

6º dia – Saída para o Cânion do rio Colca, com paradas em vários pontos para observar os terraços tradicionais de agricultura, igrejas com imagens de santos vestidas como as nativas. Parada no mirante do Condor para observar uma das maiores aves do mundo dando rasantes sobre os visitantes. Retorno a Chivay e embarque para Puno em ônibus turístico passando pelo menos trajeto do dia anterior.

DSC00917

Mirante del Condor

7º dia – Perdemos a saída para o passeio que inclui Ilhas Taquile e Ilhas Flutuantes, então tomamos um barco de nativos para conhecer ao menos as Ilhas Flutuantes, aquelas ilhas de palha bem conhecidas das fotos sobre o Peru. No retorno caminhada pelo centro de Puno, que não tem muita graça se comparado às outras cidades que conhecemos.

DSC00993

Ilhas flutuantes Los Uros em Puno

8º dia – Deslocamento Puno a Copacabana (Bolívia) de ônibus. Fizemos uma caminhada pelo centro da cidade, fomos à Catedral de Copacabana, vimos um ritual religioso de lavagem dos carros. Depois pegamos o caminho para ver o por do sol no Cerro Calvário. A subida é pesadinha, toma algum tempo, mas a vista do Lago Titicaca vale a pena. É um local de peregrinação religiosa, ao longo do caminho várias famílias fazendo rituais.
DSC01085
9º dia – Caminhamos mais um pouco pela cidade, visitamos outras ruínas incas de Copacabana e curtimos a vista e o bom ambiente do hotel em que estávamos. Dia de descanso.

10º dia – Visita à Ilha do Sol, onde crê-se que surgiu o primeiro Inca. Fizemos umas caminhadas pela ilha, visitando as ruínas incas à beira do lago Titicaca. Deslocamento para Puno de ônibus.

11º dia – Ônibus turístico entre Puno e Cuzco, com paradas em ruínas pré-incaicas e mirantes com picos nevados.

12º dia – Caminhada pelo centro de Cuzco, visita à Catedral, ao Korichanca, ambos antigos templos incas que foram sobrepostos por construções espanholas. Nas ruas de Cuzco é possível ver paredões de construção fina inca, com encaixes perfeitos de pedras. Há guias que por um trocado te explicam a história e te mostram desenhos de animais nas pedras.

DSC01214

Plaza de Armas de Cuzco

13º dia – Passeio ao Vale Sagrado a Caminho de Machu Picchu. Durante a visita são feitas paradas nas cidades Incas de Pisac e Ollantaytambo. Essas cidades são ruínas incas, com templos e terraços de agricultura, e foram donimadas e destruídas pelos espanhóis. Em Ollantaytambo tomamos o trem para o povoado Machu Picchu (Águas Calientes)
DSC01300

14º dia – Pela manhã tomamos o ônibus que liga o povoado ao Parque de Machu Picchu, e fizemos a visita guiada pela cidade perdida. À tarde, quando acaba a visita guiada ficamos mais um tempo caminhando entre as ruínas curtindo a cidade. A noite, caminhada no povoado Aguas Calientes e tomamos o trem de retorno a Cuzco.

DSC01477

Machu Picchu

15º dia – Em Cuzco, visita às ruínas de Sacsayhuaman, um forte de proteção à cidade sagrada de Cuzco, com pedras gigantes, exemplar impressionante da arquitetura inca. Neste forte tem um mirante com vista para toda a cidade de Cuzco.

DSC01589

Muralhas de Sacsayhuaman

DSC01593

Vista de Cuzco do Mirante em Sacsayhuaman

16º dia – Retorno a Lima e retorno a Brasília.

Todo o roteiro é composto de muita caminhada e muito exercício físico, mesmo não tendo feito as trilhas mais conhecidas, aquelas que duram vários dias. Sugiro que leve apenas tênis e roupas flexíveis pois é tudo que vai precisar. Também agasalhos, faz muito frio.

A altitude e a escassez de oxigênio ajudam a dificultar as caminhadas, mesmo as mais simples, nos centros das cidades. Sobre alterações neste roteiro, eu ficaria um dia a menos em Puno, que apesar de ter as ilhas flutuantes e as ilhas Taquile, não é uma cidade turística. Em Copacabana se tem uma ideia bem melhor do cotidiano do povo do interior dos países andinos. Também ficaria um dia a mais em Lima, para conhecer os Museus de história, e talvez mais tempo em Cuzco, que é impressionante, uma cidade linda e rica de detalhes.

8 comentários

    • planejoviajar 31 outubro, 2014 at 13:58 Responder

      Edissa, média de gastos em uma viagem é algo muito pessoal, depende de que tipo de hotel você vai ficar, que tipo de restaurante vai comer, se vai se locomover entre as cidades de ônibus ou avião, e etc.
      Eu estou no Peru com um orçamento de 100 reais por dia, mas isso inclui hospedagem em albergue, comida em restaurantes econômicos.
      Se for ficar em hotel, calcule uns 40 dólares com diária, mais uns 30 com alimentação em restaurantes bacanas (a comida no Peru é deliciosa!), e mais alguma coisa para passeios, entrada em Museu, etc. Taxi é muito barato!

  1. Isabella 23 junho, 2016 at 16:17 Responder

    Oii Gente! Estou planejando minha viagem para o Peru e a Bolívia agora em julho… queria saber onde vcs dormiram quando foram para Chivay? Em Chivay mesmo ou em Arequipa? Quanto tempo de viagem?

    E estou em muita dúvida se devo comprar a entrada e o trem p Machu picchu antes de ir ou quando estiver em Cusco mesmo… oq acham? beijos e obrigada

  2. Juliana 13 Janeiro, 2017 at 17:37 Responder

    boa tarde!
    Estou planejando minha viagem ao Peru, será minha primeira viagem internacional.
    Estou com um certo receio por só falar português e com medo da questão da altitude, pois sou alergica.
    entrei em contato com uma agencia ai no PEru mesmo, para um roteiro de 15 dias (Lima, Paracas, Nazca, Arequipa, Colca, Puno, Cuzco, Machu Picchu e aguas calientes), se hospedando em hostel eles cobraram 1290 dolares por pessoa (não inclui o bilhete internaciobal de ida e volta a Lima e comidas). To super na dúvida se fecho ou não, pois pelo que tenho lido, as coisas no Peru são bem baratinhas.
    O que vcs acham?

    • Ana Beatriz 4 Fevereiro, 2017 at 19:29 Responder

      Oi Juliana! Acredito que viajando por conta você consiga gastar menos. Vai muito do seu estilo de viajante.

      Não acho que a altitude vá influenciar em sua alergia. A poeira ou outras coisas sim, podem ter algum efeito. lembre-se que boa parte destes lugares estão em um deserto.

      beijo! Boa Viagem!

Deixe uma resposta