Como negociar um intercâmbio de trabalho numa viagem

Atualizado em 23/03, às 9h

Intercâmbio de trabalho, também chamado de work exchange ou trabalho voluntário, é quando você troca algum serviço por outro, sem envolver dinheiro. Uma das formas mais baratas de viajar, principalmente em períodos longos, é trocar algumas horas de trampo por hospedagem e alimentação.

Você pode trabalhar na recepção ou na governança de um hostel e ganhar uma cama para dormir. Você pode cuidar de um bebê e ajudar na jardinagem de uma casa de família e ter um quarto para morar durantes uns meses.

Para quem vai viajar por vários meses, em um ano sabático por exemplo, fazer intercâmbio de trabalho pode ser uma maneira de viajar por muito mais tempo com bem menos dinheiro! Até porque eu aprendi, nessa vida nômade, que não gastar é o mesmo que ganhar!

Continue lendo para saber:

- Quem pode participar;

- Sites para encontrar oportunidades;

- Outras formas de entrar em contato com possíveis hosts;

- Qual a antecedência para fazer o contato;

- Como é o trabalho;

- Vistos e outras exigências;

- Como negociar um intercâmbio de trabalho que seja bom para as duas partes.

Quem pode participar de um intercâmbio de trabalho

Qualquer pessoa. Em geral, os sites de intercâmbio de trabalho requerem a idade mínima de 18 anos para inscrição, mas se você vai fazer contato de outras formas, ou viaja com crianças, ainda assim pode conseguir algum acordo. Basta estar disposto a trabalhar em tarefas bem simples e socializar com os anfitriões.

Eu e outros dois voluntários no hostel em Cusco, no Peru

Eu e outros dois voluntários no hostel em Cusco, no Peru

Sites para encontrar oportunidades

Os principais são:

Workaway

Site com mais de 21.500 anfitriões em mais de 155 países. Os anfitriões vão desde hostels, fazendas, até casas de família e organizações sociais.

É cobrada uma inscrição que dura 1 ano e custa US$ 29/uma pessoa ou US$ 38/duas pessoas, para que você tenha acesso a entrar em contato com os anfitriões. Você também pode criar um perfil de casal ou de dupla de amigos.

 

Helpx

Similar ao workaway, tem cerca de 17 mil anfitriões, principalmente nos EUA, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Europa. A inscrição custa 20 euros (tem um um plano free também) e dura 2 anos e também permite a inscrição como casal ou dupla de amigos.

 

Wwoof

O wwoof é especializado em fazendas de agricultura orgânica. Para entrar em contato com os possíveis hosts é preciso fazer uma inscrição, que é feita por país. Ou seja, se quer trabalhar no Brasil existe uma inscrição diferente para quem quer trabalhar nos EUA. A inscrição vale por um ano.

 

Worldpackers

Worldpackers é uma startup criada por dois brasileiros especializada em intercâmbio de trabalho em hostels. Você não paga inscrição, paga por cada acordo que é fechado.  Tem algumas centenas de hostels em vários países, principalmente no Brasil. Pode ser uma boa para quem vai fazer intercâmbio apenas em uma cidade e passar bastante tempo.

 

Para Onde

Para onde é um site português com vários anúncios de oportunidades de intercâmbio de trabalho, trabalhos voluntários em instituições de caridade e até algumas ofertas de trabalho temporário em lugares turísticos.

Há anfitriões em várias partes do mundo. Para alguns trabalhos voluntários é cobrada uma taxa para os custos com alimentação e hospedagem, que sai bem mais barato do que pagar estas despesas como turista.

 

Outras formas de entrar em contato com possíveis hosts

Email

Se você não quiser pagar pelas inscrições dos sites acima, pode se arriscar e enviar emails para hostels, pousadas e outras instituições que você acredita que estariam dispostas a receber pessoas no esquema de intercâmbio de trabalho.

Quase todos os hostels estão familiarizados com este conceito, e podem ser um bom ponto de partida. Pesquise em sites como o Hostelworld quais são os hotels mais legais dos lugares que você quer visitar e escreva diretamente para eles.

 

Visitas

Se você já está viajando, não fez nenhum contato, mesmo assim pode conseguir algum acordo. Visite alguns hostels, peça para conversar com o dono ou com o gerente e quem sabe você pode ser o que eles estavam precisando no momento. Eu já consegui um acordo assim. Estava como voluntária em um lugar que eu não estava gostando, então saí caminhando pela cidade e fui aos hostels que eu considerava melhores para os turistas, porque eles certamente seriam melhores para mim como "voluntária" também.

 

Qual a antecedência para fazer o contato?

Não existe um padrão. Dois meses é o mínimo, mas pode acontecer de você conseguir fora deste prazo. Preste atenção nos anúncios, pois muitas vezes eles falam sobre os meses que os anfitriões precisam de ajuda.

No Workaway você pode se inscrever para o "last minute" que é onde os anfitriões podem buscar pessoas que estão prontas para viajar imediatamente para onde eles estão precisando de ajuda.

A principal dica é escrever para vários hosts. Muitos não respondem os emails, e outros tantos não vão ter disponibilidade de receber você na data que você quer. Não aposte todas as fichas em um só.

 

Como é o trabalho

Eu fazendo o café da manhã no Hostel em Bariloche

Eu fazendo o café da manhã no Hostel em Bariloche

Muitas vezes o trabalho é bem simples, manual e operacional. Você ajudará na limpeza, jardinagem, pequenos reparos, manutenção, etc. Pode também trabalhar em hostels e pousadas trocando as roupas de cama e preparando o café da manhã. Às vezes há vagas na recepção para quem um bom nível de inglês.

Algumas vezes os anfitriões buscam ajuda mais especializada, como artistas para fazer algumas pinturas na parede para a decoração, ou ajuda com o site e as redes sociais. Mas o mais provável é que você faça isso e também ajude nas tarefas operacionais.

Em casas de família eles podem buscar ajuda para cuidar das crianças e para aprender idiomas. É mais comum procurarem alguém para ensinar inglês, mas pode acontecer de buscarem por outras línguas também.

 

Vistos e outras exigências

Não existe um visto específico para quem vai fazer intercâmbio de trabalho. Você é um turista, estará fazendo trabalho voluntário - considerando que você não será remunerado por ele. Você tem que procurar informações sobre os vistos para turistas no país que você vai visitar.

Saber falar inglês é uma exigência para alguns anfitriões, já que o trabalho inclui atender turistas ou mesmo para ter contato com a família que o receberá. Mas não pode ser considerada uma exigência.

 

Como negociar um intercâmbio de trabalho que seja bom para as duas partes

O segredo de todos saírem satisfeitos é a negociação! Tirar todas as dúvidas, perguntar tudo!

Alguns anfitriões colocam anúncios bem absurdos, pedindo por uma quantidade enorme de trabalho em troca de muito pouco. Nem todos oferecem comida, até porque não tem realmente condições de oferecer. Mas alguns oferecem apenas a cama e pedem muito trabalho em troca.

Então, para evitar mal entendidos e decepções, leia com atenção as ofertas e entre em contato apenas com aqueles que parecem oferecer e pedir algo que pareça justo para você. Nos emails, pergunte exatamente tudo o que será oferecido em troca da cama, e se oferecerão comida ou algum outro benefício em troca do seu serviço.

Já tive experiências em que eu era exigida como se eu fosse uma funcionária, inclusive com controle super rígido de horários e muito pouca flexibilidade de tempo. Não compensa, porque eu quero, antes de tudo, viajar. Se eu não tiver tempo para conhecer o local qual é o sentido?

 

Guigo e Marcela do site Dias Vivos

Guigo e Marcela do site Dias Vivos

 

Por fim, indico o site Dias Vivos, de meus amigos Marcela e Guigo. Eles estão viajando há mais de um ano saltando de um intercâmbio de trabalho para outro. Já passaram uns meses surfando na Califórnia, depois se apaixonaram pelo Canadá, e agora estão num hostel em frente à praia no Havaí! Invejinha... hehehe

Eles fizeram uma página de perguntas e respostas super completa sobre intercâmbio de trabalho e me deram uma super força para conseguir alguns dos acordos que eu consegui nas minhas viagens.

 

 

1 comentário

Deixe uma resposta